Artigos do autor

  • Vedānta para que?

    Tempos atrás, escrevi um texto cujo título era “Yoga para que?” Agora, depois de ter respondido algumas vezes para amigos praticantes o que há no Vedānta que fascina tantos yogis, e que nos leva ano após ano de volta para a Índia para continuar estudando, escrevo este outro texto, complementar àquele, para tentar responder a essa questão.


    Pedro Kupfer


  • As duas vidas de Śakuntalā

    Muitas vezes pensamos que o status da mulher nas sociedades antigas tenha se mantido mais ou menos estável, sempre ou quase sempre por baixo da posição do homem, submissa e escrava, como uma espécie de objeto sem vontade própria nem direito de decidir sobre a própria vida. Embora isso possa ser verdadeiro em relação às sociedades dominadas pelas religiões abraâmicas, houve exceções no passado, como foi o caso da sociedade etrusca, o da hindu e outras onde predominou o matriarcado.


    Pedro Kupfer


  • Ujjāyī prāṇāyāma

    Ujjāyī significa vitorioso. Deriva da raiz ujji, conquistar. Embora seja descrita aqui como uma técnica específica de prāṇāyāma, esse tipo de respiração acontece espontaneamente em estados de concentração intensa e meditação profunda. 


    Pedro Kupfer


  • Dicas de viagem à Índia

    Considerando a quantidade de mensagens que temos recebido nos últimos tempos com pedidos de informações sobre como organizar uma viagem para a terra do Yoga, preparamos este texto com algumas dicas importantes.


    Pedro Kupfer


  • Prazer ou felicidade?

    Fazer o que amamos ou amar o que fazemos? O Karma Yoga nos ajuda a compreender prós e contras dessas possibilidades. Olhando para estas duas palavras, prazer e felicidade, podemos ter a impressão de que ambas estão conectadas, ou de que a realização da segunda depende de conquistarmos a primeira.


    Pedro Kupfer


  • Bhastrikā prāṇāyāma

    Esse respiratório ocupa um lugar muito importante dentro do Yoga. Produz uma oxigenação muito mais intensa que todos os outros, limpa os pulmões e as vias respiratórias e é altamente energizante e vitalizante, podendo eliminar o cansaço e a depressão em poucos instantes.


    Pedro Kupfer


  • A Aculturação do Yoga

    Nos tempos de globalização que correm, temos o privilégio de poder conhecer culturas e modos de viver diferentes do nosso, que nos enriquecem, motivam e ensinam. E a visão e o estilo de vida do Yoga são muito inspiradores e transformadores para qualquer cidadão da aldeia global. Porém...


    Pedro Kupfer


  • Kīrtan

    Eis uma pequena seleção de kirtans, para desfrutar e estudar. Aqui aparecem os links para as gravações, que podem ser ouvidas online, bem como as traduções do sânscrito e seus significados. Futuramente iremos postando novas gravações no SoundCloud. Desfrutem!


    Pedro Kupfer


  • Para Compreender os Mantras

    Os mantras são “traduções” da inteligência criativa, Īśvara. Nas Upaniṣads, o próprio mantra Oṁ, por exemplo, é considerado uma espécie de símbolo sonoro, de “corpo” em forma de som, de Īśvara, a Criação.


    Pedro Kupfer


  • Que Yoga devo praticar?

    O Yoga cresce sem parar: nos Estados Unidos já são mais de 20 milhões de praticantes e, segundo estimativas recentes, essa tendência de crescimento irá se manter, no mínimo, por mais dez anos. Aqui no Brasil não é diferente, e esta visão libertadora, que nos sugere uma forma muito saudável de viver, atrai cada vez mais adeptos. 


    Pedro Kupfer


  • Isso não é Yoga!

    Você já escutou a frase do título dentro da sala de prática, pronunciada por um professor que supostamente deveria ser equânime? Acontece que alguns têm o hábito de agredir os colegas com chavões desse tipo. Esses professores, que felizmente são minoria, acreditam piamente que o sistema que eles defendem seja o melhor, o mais autêntico ou o “original”.  


    Pedro Kupfer


  • Vivendo a Ética do Yoga

    Este é um assunto importante e delicado, que sempre se menosprezou. Ao que parece, os yogis do século XXI estão tão ocupados nos seus misteres, que esqueceram ou passaram a considerar desnecessário deter-se em detalhes aparentemente insignificantes como não mentir ou cultivar o contentamento.


    Pedro Kupfer


  • Yoga, Problema, Solução

    Yoga é estar livre de distrações. Uma mente livre de distrações nos alivia do medo, da raiva e das outras emoções que poluem a paisagem interior.


    Pedro Kupfer


  • O sorriso de Kṛṣṇa

    Aceitar situações das quais gostamos, ou aquelas que nos surpreendem agradavelmente é muito fácil. Aceitar coisas que nos são indiferentes tampouco implica algum desafio especial. A palavra aceitação serve para nos lembrar de como lidar de maneira equânime com os obstáculos.


    Pedro Kupfer


  • Absoluto e Relativo

    O Absoluto não tem atributos. As palavras que se usam para apontar para o Ilimitado não são o Ilimitado, nem são atributos dele. São apontadores que indicam o Absoluto. Você pode compreender o Ilimitado através da compreensão do Universo como um atributo circunstancial dele. O Ilimitado é manifestado na forma do Universo, transitoriamente. Existia antes, existe agora, existirá depois.


    Pedro Kupfer


  • Amor Radical ou Emoções Baratas?

    Hoje em dia, está na moda ficar. Pessoas ficam. Por exemplo, ouvimos dizer que Fulano ficou com Sicrana. Demorei um pouco para entender o que era esse tal de ficar


    Pedro Kupfer


  • Devemos provar tudo antes do Yoga?

    Antes do Yoga, precisamos viver todas as experiências possíveis? Algumas pessoas pensam que é preciso viver todos os prazeres possíveis antes de dedicar-se à espiritualidade. Essa é uma crença bastante espalhada e comum. Isso acontece porque algumas pessoas que começam essa caminhada acabam fazendo exatamente o contrário do que pregam: deixam-se levar pelas paixões exacerbadas quando supostamente deveriam ser contidos, acumulam imensas fortunas quando deveriam cultivar a simplicidade e coisas do gênero. 


    Pedro Kupfer


  • Jambo, a Árvore da Vida

    A antiga cultura da Índia usava o nome Jambudvīpa, ou “ilha do jambū”, para se referir ao mundo. Na cosmogonia indiana, considera-se que o centro do mundo seja o Monte Meru, no Tibete. No alto desse monte sagrado cresce a Árvore da Vida, o Jambū. Desta maneira, Jambū é o Eixo do Mundo e a Origem da Vida ao mesmo tempo.


    Pedro Kupfer


  • Para Consagrar o Alimento

    Diferentemente do que possa parecer à primeira vista, este mantra não é precisamente um agradecimento, mas uma maneira de tomar consciência do significado do ato de nutrir-se. Consiste em levar a mesma consciência da unidade que permeia todas as coisas para o nosso prato. Podemos fazer ele mentalmente com os olhos fechados, o que irá nos levar apenas algumas respirações profundas à beira da mesa, ou ainda verbalizá-lo em voz alta se preferirmos.


    Pedro Kupfer


  • Precisamos acreditar no Ilimitado?

    Como professor de aritmética, você não quer que seus alunos "acreditem" que 2+2=4, mas que compreendam o conceito de adição e possam fazer futuramente suas próprias contas e aplicar esse conceito para resolver questões práticas na vida. Isso exclui a fé, ou a crença na palavra de quem ensina.  


    Pedro Kupfer


  • Lakshmi Mantra: Beleza e Abundância

    Lakṣmī está em tudo o belo, tudo o que cresce, tudo o que se manifesta como crescimento, prosperidade ou beleza. Lakṣmī é o dinheiro, em todas suas formas. Está nas frutas carnudas, nos jardins floridos, nas águas, rios, mares e matas tropicais. Está nos dias de verão em que o sol brilha, no canto das cigarras após a chuva. Também, nos elementos decorativos feitos com capricho e cuidado, na elegância, nas roupas, na simetria, na combinação equilibrada de cores, texturas ou tecidos e em tudo o que for harmonioso.


    Pedro Kupfer


  • MUDANÇAS E FELICIDADE

    O grande segredo, se há um neste jogo, é reconhecer que as mudanças fazem parte da própria dança da vida, mas nenhuma delas poderá trazer para nós felicidade, pois felicidade é o que já somos. Seria sábio lembrarmos disso a cada momento.


    Pedro Kupfer


  • O que é Yoga?

    Muito se fala a respeito do Yoga. Diversas definições foram dadas, mas sempre temos a sensação de que alguma coisa fica faltando; de que ele se recusa a ficar aprisionado num conceito teórico, pois essas quatro letras juntas significam muitas coisas. Porém, o Yoga acaba sendo sempre mais do que as palavras podem dizer.


    Pedro Kupfer


  • O mito da mente vazia

    Um cidadão diz para outro: “meu filho está fazendo meditação”. O colega pergunta: “e o que é meditação?” O primeiro responde: “não sei, mas prefiro que ele faça meditação, a que fique sentado sem fazer nada”. Esta piada ilustra aquela visão de que fazer meditação equivale a nada fazer. Ela, por sua vez, está baseada num dos muitos mitos que circundam o folclore do Yoga. 


    Pedro Kupfer


  • DIFICULDADES SÃO BÊNÇÃOS

    Não há maturidade sem obstáculos. A virtude deles é que nos preparam, forjando o carácter e fortalecendo o foco, ao mesmo tempo em que aprendemos a manter a calma e o contentamente na frente dos desafios que a vida nos coloca. Se conseguirmos olhar de maneira equânime para as situações em que as dificuldades surgem, não apenas iremos amadurecer emocionalmente: também estaremos tornando o mundo à nossa volta um lugar melhor.


    Pedro Kupfer


  • Yoga: Inside or Outside Hindu Dharma?

    Those who praise the simplification of Yoga do not try, necessarily, to make Yoga available to all. Let us remember that the use of Sanskrit does not make Yoga incomprehensible. The fear of the culture of “the Other” is what makes Yoga incomprehensible. That fear is a form of xenophobia, the dislike of lack of confidence about everything that comes from another place or people.


    Pedro Kupfer


  • Asanas para a Cervical, Parte 1: Relaxar

    Esta sequência está dividida em duas partes. A primeira destina-se àqueles que precisem relaxar, remover tensões e descontrair a região cervical, numa crise de dor. A segunda parte visa a estabilizar e fortalecer a cervical, e só deve ser praticada por aqueles que não estejam sentindo dor no momento da prática.


    Pedro Kupfer


  • Asanas para a Cervical, Parte 2: Fortalecer

    Esta prática de āsanas visa a estabilizar e fortalecer a cervical, e só deve ser praticada por aqueles que não estejam sentindo dor. Como há muitas causas diferentes para dores nesta área, as soluções para aliviá-las devem ser igualmente diferentes. Esteja pronto para escutar seu corpo ao longo das práticas e adaptar o que seja necessário. É importante adequar ou até mesmo eliminar posturas ou movimentos desta sequência que possam produzir dor. Esforce-se, sem forçar. 


    Pedro Kupfer


  • Testosterona Yoga

    Na esteira de uma série de recentes e tristes escândalos envolvendo condutas sexuais inapropriadas e até mesmo criminosas, por parte de alguns famosos professores de Yoga, cabe uma reflexão aqui para voltarmos ao básico do básico, bem como para não perdermos a bússola ética nos mares turbulentos em que o Yoga navega atualmente.  


    Pedro Kupfer


  • Como fazer o mantra Om?

    Se você for à Índia, verá o mantra Oṁ por todas partes: em todas as casas e comércios, pintado nos muros e carros, onipresente na paisagem. Hindus de todas as etnias, castas e idades conhecem perfeitamente seu significado. Ele ecoa desde a noite das idades em todos os templos e comunidades ao longo do subcontinente.


    Pedro Kupfer


  • Série para estabilização dos joelhos

    Esta série de āsana tem como propósito auxiliar na estabilização dos joelhos. Deve ser executada com cuidado para não forçar essas articulações. Em caso de sentir dor articular em alguma das posturas, recomendamos deixar de fazê-la e passar para a seguinte. Recomendamos repetir esta série pelo menos três ou quatro vezes por semana. Os benefícios desta prática irão de manifestar depois de duas ou três semanas.


    Pedro Kupfer


  • Bom dia, tristeza

    Negar ou reprimir a tristeza é como pretender que o espaço desapareça colocando-o dentro de uma garrafa. E aliás, não é um bom negócio: a tristeza mal digerida pode derivar em transtornos psicossomáticos, ansiedade ou depressão. Isso acontece por exemplo quando não conseguimos elaborar sadiamente a dor pela perda de um ente querido.


    Pedro Kupfer


  • Quem é este Eu?

    Quando nos olhamos no espelho, aquilo que chamamos Eu parece fugir à nossa percepção. Não podemos ver o Eu com os olhos, nem tocá-lo com as mãos, nem sentí-lo com o tato ou a audição. Como é que podemos perceber o Ser? Onde ele está? Como podemos dizer que de fato existe? Certamente, o Ser acontece no corpomente, mas evidentemente, não está limitado aos contornos do físico ou do psíquico. Não somos as experiências ou diferentes partes do corpo, ou pensamento ou as emoções, mas estamos em todas e cada uma delas.


    Pedro Kupfer


  • Liberdade do desejo, desejo de liberdade

    Desejar faz parte do psiquismo humano. É o que nos define como indivíduos e configura a nossa personalidade. Então, é natural, e deveríamos parar de olhar para o desejo como um problema. Em verdade, é um privilégio poder desejar. É sinal de saúde mental. O problema não e o desejo. O problema é achar que desejar pode trazer felicidade.


    Pedro Kupfer


  • Self ou selfie? O Corpo no Yoga

    A imagem do Yoga que se projeta através dos selfies de āsanas intimida pessoas que se sentem acuadas pelo grau de dificuldade das ações ilustradas. O problema é que o tema não se limita ao mundo da publicidade: esse tipo de imagem é ubíqua também em redes sociais, publicações e blogs. Isso aponta para uma distorção alarmante.


    Pedro Kupfer


  • Santo 108

    O amigo praticante sabe que o 108 é um número sagrado no Yoga: tradicionalmente, se fazem 108 repetições de um mantra ao meditar, ou 108 ciclos da saudação ao sol em práticas especiais. Também sabe que as japamālās, terços para meditação, têm 108 contas.   


    Pedro Kupfer


  • O Poder da Tolerância

    Viver neste mundo louco pede jogo de cintura. Mas não qualquer jogo de cintura. Não estamos falando aqui de malandragem ou esperteza. O Yoga nos ensina que a capacidade de sermos flexíveis, de nos adequar alegremente às coisas, é uma atitude positiva que nada tem a ver com resignação ou fatalismo.


    Pedro Kupfer


  • Corpo e Desapego

    Desde tempos imemoriais, os sábios que nos legaram o Yoga tiveram uma atitude de compassivo desprendimento em relação ao próprio organismo, e ao mesmo tempo recomendaram uma série de soluções para nos manejar com ele, algumas das quais abordemos neste texto.


    Pedro Kupfer


  • The Yoga of Love

    When we loose someone, we suffer. When someone we love disappoints us, we suffer. That suffering seems to arise from a wrong understanding of the meaning of love. When we feel lonely, we tend to see the other as an emotional life jacket. So, we project our happiness on that object of love, and renounce any responsibility on the way. Did you think for a moment what does this mean?


    Pedro Kupfer


  • Os mantras da Saudação ao Sol

    Estes mantras podem ser feitos junto com os doze movimentos do sūrya namaskāram, a saudação ao sol tradicional, associando igualmente esses movimentos com a respiração.


    Pedro Kupfer


  • Dicas para concretizar resoluções

    A palavra saṅkalpa significa "construção mental", mas pode traduzir-se corretamente como "resolução interior". O saṅkalpa é uma fôrmula breve, clara e carregada de significado, que tem como objetivos criar foco na mente e potenciar os aspectos mais positivos da personalidade.


    Pedro Kupfer


  • O Homem de Vida Inexplicável e o Caminho do Yoga

    Era uma vez um homem chamado Moyut. Vivia numa aldeia na qual trabalhava como fiscal, e parecia muito provável que vivesse até o fim dos seus dias como funcionário público


    Pedro Kupfer


  • Água Yoga

    A responsabilidade pela atual escassez de água não é dos políticos, mas de todos nós, que os escolhemos para governar. Não me refiro aqui às últimas eleições. Estamos há gerações fazendo as escolhas erradas. Porém, neste momento os governantes estão apelando a São Pedro para resolver os problemas que a inoperância deles não conseguiu evitar, claro sinal de que chegamos no fim do poço.


    Pedro Kupfer


  • Meditação nos Desejos

    Os desejos são parte fundamental da ordem psicológica humana. O problema não é o desejo mas a maneira em que lidamos com ele. Uma coisa é termos desejos, o que é perfeitamente natural. Outra, muito diferente, é sermos governados por eles.


    Pedro Kupfer


  • Iluminação ou Frustração?

    Pode ser que já estejamos no caminho da espiritualidade há tempos. Pode ser que já tenhamos feito muitas aulas, práticas, meditações e reflexões. Pode ser que já tenhamos feito peregrinações, cursos e retiros. Pode ser que já tenhamos vivenciado algumas inesquecíveis experiências místicas. Que nos falta para assumir a felicidade que somos?


    Pedro Kupfer


  • Asanas para aliviar dores lombares

    Esta sequência é adequada para pessoas que estejam em meio a uma crise de dor e precisem de alívio e relaxamento das tensões advindas dela. Como há muitas causas diferentes para dores nessa região, as soluções para aliviá-las devem ser igualmente diferentes.


    Pedro Kupfer


  • Yoga é desprendimento

    A habilidade de interromper a identificação com os pensamentos é necessária para o samādhi, a profunda meditação. O samādhi, por sua vez, não é um fim em si mesmo mas uma preparação prévia, chamada purificação psíquica, para a libertação. 


    Pedro Kupfer


  • Yoga agora!

    0 false 18 pt 18 pt 0 0 false false false A palavra que abre o Yogas?tra, atha, significa “agora”. Pode parecer estranho começar um texto deste porte por um advérbio tão lacônico, mas o que se percebe claramente aqui é que o Yogas?tra não é um livro para iniciantes. Alguma coisa foi ensinada previamente, e “agora”, começa o ensinamento do Yoga.


    Pedro Kupfer


  • Yoga é voltar para casa

    O sábio Patañjali nos ensina que o natural (svarūpa) do ser humano é o próprio Yoga. A palavra svarūpa, que significa “sua própria forma”, define o reconhecimento de si mesmo como alguém livre de limitações. Lembremos que Yoga não é um estado de consciência mas uma atitude.


    Pedro Kupfer


  • Desiderata

    Que sejamos paz. Que vivamos felizes. Que fiquemos sábios. Que tenhamos saúde. Que não nos falte arte. Que não nos falte música. Que descubramos os mistérios da vida. Que a bondade dos santos nos livre da injustiça.


    Pedro Kupfer


  • Comer, rezar, amar, errar

    A autora até que tenta dizer algo que faça sentido mas é evidente a sua falta de familiaridade com o tema, e acaba fazendo um pastiche de elementos contraditórios. Pelas suas palavras, temos a impressão de que o turīya é algo a ser alcançado, mas extremamente distante das experiências que temos e vivemos ao longo do nosso cotidiano, e que não é algo que possamos experienciar nesta vida de maneira fácil.


    Pedro Kupfer


  • Kapalabhati: a limpeza das vias respiratórias

    O nome desse exercício significa crânio brilhante. No kapālabhāti enviamos uma carga extra de oxigênio ao cérebro, que se dilata imperceptivelmente. Daí deriva uma sensação de "brilho". Esse processo é um ṣaṭkarma, uma purificação, pois proporciona uma limpeza total das vias respiratórias.


    Pedro Kupfer


  • O Yoga e a Morte

    A morte inspira medo. Em nosso cotidiano, via de regra, procuramos varrer convenientemente esse tema para baixo do tapete, ocupados como estamos na busca do conforto, a prosperidade e a satisfação. Porém, em alguns momentos, ele surge intempestivamente, nos invade e passa como um rolo compressor por cima da nossa frágil estabilidade emocional.É dito que se não estivermos prontos para viver, tampouco estaremos preparados para morrer.


    Pedro Kupfer


  • Ásana em rota de colisão. Parte 2

    Este artigo, dividido em duas partes, aborda o delicado tema das lesões nas práticas de Haṭha Yoga. Na imensa maioria dessas lesões, ha um erro de atitude ou um erro de compreensão da maneira em que o Yoga funciona. Aqui pretendemos revisar esse assunto e convidar o amigo leitor para pensar no tema. O autor já se machucou praticando e há anos procura evitar que outros praticantes repitam os erros que ele cometeu.


    Pedro Kupfer


  • Ásana em rota de colisão. Parte 1

    Este artigo, dividido em duas partes, aborda o delicado tema das lesões nas práticas de Haṭha Yoga. Na imensa maioria dessas lesões, ha um erro de atitude ou um erro de compreensão da maneira em que o Yoga funciona. Aqui pretendemos revisar esse assunto e convidar o amigo leitor para pensar no tema. O autor já se machucou praticando e há anos procura evitar que outros praticantes repitam os erros que ele cometeu.  


    Pedro Kupfer


  • Como lidar com os desejos e a tristeza

    Identificados com a insegurança que por momentos toma conta da mente, às vezes pensamos coisas como “será que vou realizar meus desejos? Será que vou conseguir conquistar o que preciso para me sentir seguro?” O problema é que este tipo de padrão mental de ansiedade torna-se uma verdadeira prisão, um feitiço que nos impede o crescimento e nos tolhe a liberdade.


    Pedro Kupfer


  • Ganesha Matrika Nyasa

    Nyāsa é uma palavra sânscrita que significa “colocar”, “aplicar” ou “tocar”. Esse termo define uma série ampla de práticas tántricas. Nyāsa consiste em tocar ou colocar os dedos ou as mãos em diferentes lugares do corpo, obedecendo a uma certa seqüência ritual. Através desse passeio sagrado pelo corpo, chamado parikrāma ou pradakṣina, cada uma das partes do corpo é “animada” e “sacralizada” por um mātrikā bīja, uma dos “mães-sementes”, ou sílabas sagradas do alfabeto sânscrito. Isto se faz associando a cada um desses sons um mantra específico.


    Pedro Kupfer


  • Sarvangasana, a inversão sobre os ombros

    Sarvāṅgāsana é a inversão sobre os ombros, um dos āsanas fundamentais do Haṭha Yoga. Para iniciar, você pode colocar um cobertor dobrado em oito partes sob os ombros, fazendo uma plataforma firme para manter o pescoço fora do chão, proteger a região cervical e evitar o excesso de compressão nesta área. Deitado de costas, una as pernas e eleve-as sem impulso, juntas e estendidas, enquanto inspira fundo. Caso isso não seja possível, recolha as pernas em direção ao tórax e eleve-as verticalmente quando os joelhos estiverem por cima da linha do rosto.


    Pedro Kupfer


  • Asanas para fortalecer a lombar

    Esta sequência destina-se àqueles que precisem fortalecer as regiões lombar e dorsal, mas não estejam sentindo dor no momento da prática. Como há muitas causas diferentes para dores na região lombar, as soluções para aliviá-las devem ser igualmente diferentes. Esteja pronto para escutar seu corpo ao longo das práticas e adaptar o que seja necessário.


    Pedro Kupfer


  • Yoga: princípios e fins

    Há pessoas tão sensíveis, mas tão sensíveis, que são incapazes de lembrar que existe gente que sofre. Assim, a melhor solução que concebem é ignorar por completo a dor alheia, para não sofrer elas mesmas. Esse tipo de indiferença e passividade, infelizmente, é visto com alguma frequência no meio do Yoga.  


    Pedro Kupfer


  • Arte sagrada hindu

    Dizer arte sagrada, no contexto do hinduísmo, é um pleonasmo. Digo pleonasmo pois, na cultura antiga da Índia não há arte que não seja sagrada. Não há forma de arte que não tenha o propósito de revelar algum dos múltiplos aspectos do divino e, ao mesmo tempo, um caminho para mokṣa, a libertação. Cada forma artística funciona como um espelho que aponta para as infindáveis manifestações do Criador.  


    Pedro Kupfer


  • Ásana: o que há num nome?

    Compreendendo o que fomos, entendemos o que somos. Compreender o passado é uma forma de entender o que significa a vida no presente. Dessa forma, um aspecto do valor dos mitos aos quais aludem os nomes dos āsanas é enriquecer o presente do praticante convidando-o para manter vivos em sua memória os feitos dos yogis, de maneira que suas trajetórias nos inspirem no presente.  


    Pedro Kupfer


  • Meditação da Expansão

    Quando compreendo que sou a consciência que já estava desde antes da mente e do desejo, que permanece durante e que fica depois, que estava desde antes do corpo, que está no corpo agora, e que permanece depois, que estava antes do prāṇa, que está na vitalidade agora, e que fica depois, aquilo que chamo de minhas preocupações se reduz até a insignificância.


    Pedro Kupfer


  • Meditação no sahasrara chakra

    Este exercício combina mantra, bhrūmadhya dṛṣṭi, visualização e respiração pelo sahāsrara. O efeito sobre a consciência é explosivo, justamente por ter a energia como veículo. Dizem os śāstras que a expansão da consciência, levada pelo prāṇa, é ilimitada.  


    Pedro Kupfer


  • Meditação no soma chakra

    Este chakra está no centro da testa, acima do ājña. Soma é o néctar lunar, também é chamado amṛta, que significa imortal. Aconselhamos esta meditação para o dia da lua cheia, fazendo antes trātaka sobre o disco lunar, quando está nascendo no horizonte. Não recomendamos esta meditação quando a lua cheia estiver descendo no horizonte, de manhã cedo.  


    Pedro Kupfer


  • Meditação no ajña chakra

    Sinopse: a meditação no sexto chakra começa com kaya sthairyaṁ, segue com ākāśa prāṇāyāma,bhrūmadhya dṛṣṭi, bīja mantra, visualização do yantra e respiração pelo chakra. O ājña corresponde aostattvas manas, buddhi e ahaṁkāra (mente, inteligência e ego). Meditando sobre ele, conseguimos estabelecer o desapego e a não-identificação com dualidades e desejos.


    Pedro Kupfer


  • Meditação no vishuddha chakra

    Esta prática de meditação sobre o centro de força da garganta inclui ākāśa prāṇāyāma, bīja mantra e visualização. O viśuddha se vincula ao elemento ākāśa (espaço), à eloqüência e ao dom de interpretação das escrituras. O desenvolvimento deste centro de força permite ao praticante ser mestre de si próprio, desenvolvendo a qualidade da independência.


    Pedro Kupfer


  • Ishvara no Yoga: o Yoga da Vida [parte 3]

    Os caminhos do karma podem parecer complexos, mas uma coisa é certa: cada fruto de cada ação é entregue pelas leis de Īśvara, que são sempre justas e adequadas. Assim, quando penso nos meios que escolho usar para conquistar os fins que me proponho, preciso levar em consideração o bem comum. Pensar que o fim justifica os meios é a pior maneira possível de olhar para as coisas no caminho da espiritualidade.


    Pedro Kupfer


  • Meditação no svadhishthana chakra

    Coloque a atenção no svādhiṣṭhāna chakra, na raiz dos genitais. Ao mesmo tempo, faça mentalmente o bīja mantra Vaṁ. Repita o mantra de maneira contínua, associado ao ritmo com a respiração.Sinta a vibração do mantra ressoando no chakra. Para revelar seu poder, o bīja mantra precisa fazer-se junto com visualizações. 


    Pedro Kupfer


  • Ishvara no Yoga: Karma e dharma [parte 2]

    O poder do livre arbítrio sempre é justo e adequado para nós. Só precisamos assumir a responsabilidade por ele. Dotar o ser humano de livre arbítrio não é como dar um carro sem freios para um adolescente rebelde. Nesse sentido, Īśvara, a inteligência universal, não joga aos dados, como disse Einstein uma vez. O poder do humano pode criar ou destruir.


    Pedro Kupfer


  • De atitudes e mudanças

    Compreendendo que os desejos não têm a capacidade de me tornar feliz, simplesmente abro mão do apego que nutri por eles e estes perdem a força que tinham sobre mim. Quando sei quem sou, quando me vejo como a pessoa simples e tranquila que sou, e reconheço que nada pode ser acrescido ou tirado de mim, o apego e o sofrimento se enfraquecem e cessam. Isso é mokṣa, a libertação, objetivo final de todo Yoga.  


    Pedro Kupfer


  • Ishvara no Yoga: Praticar Vida? [parte 1]

    Esta série de três textos que aqui iniciam tem como propósito esclarecer alguns pontos importantes em relação a Īśvara, a inteligência universal, seu papel nas nossas vidas e ao Karma Yoga. Estes temas, infelizmente, são bastante mal compreendidos na atualidade. Começaremos por este último, que deveria, penso, ser chamado Yoga da vida e não Yoga da ação.  


    Pedro Kupfer


  • A meditação na tradição yogika -- parte IV

    Completando no presente artigo o tema da meditação na tradição do Yoga, trazemos agora à atenção do amigo leitor uma reflexão sobre a consciência testemunha, chamada sākṣi em sânscrito. Assim como as primeiras três partes deste texto, o presente artigo também está baseado nos ensinamentos e aulas práticas que tivemos com Swāmi Dayānanda.  


    Pedro Kupfer


  • Seis práticas

    Fazendo uma auto-análise poderemos observar que, muitas vezes, nos tornamos escravos da necessidade de reconhecimento por parte dos demais. Essa necessidade busca preencher a falta de auto-reconhecimento ou a falta de aceitação e acaba gerando uma série de condutas e situações indesejáveis nas quais ficamos muitas vezes enredados. Porém, existem práticas que podem nos libertar.


    Pedro Kupfer


  • Abhyasa: mantendo o foco no Yoga

    Certo grau de organização e maturidade mental e emocional é essencial para compreendermos como somos e funcionamos. A palavra sânscrita abhyāsa, traduzida geralmente como prática constante, significa literalmente “repetição”. Há duas formas de se interpretar este termo: uma positiva e uma negativa.


    Pedro Kupfer


  • Nadishodhana, a respiração alternada

    Nāḍīśodhana significa purificação das nāḍīs, os canais da energia vital. Este respiratório é importantíssimo no Yoga, pois promove o bhūtaśuddhi, a purificação dos elementos do corpo sutil, requisito preliminar e indispensável para as práticas mais avançadas. Para faze-lo corretamente, siga atentamente estas instruções.  


    Pedro Kupfer


  • Kalki Avatara

    As diversas correntes da variada tradição hindu apresentam distintas interpretações sobre quem são e qual é a função dos Avatāras. O termo Avatāra significa “Aquele que Desce”, e indica uma encarnação terrestre da forma divina de Viṣṇu, o Preservador da Criação. Um Avatāra é uma encarnação viva do Divino, nascido de pais humanos, que apresenta uma sucessão de virtudes divinas com características humanas.


    Pedro Kupfer


  • Realidade ilusória?

    Uma vez, um yogi vivia numa densa floresta com seus discípulos. Ele ensinava o desapego e repetia incessantemente para os estudantes que o mundo manifestado é pura ilusão. Um dia, um elefante furioso e faminto atacou a ermida onde eles moravam.


    Pedro Kupfer


  • Sua prática de Hatha Yoga

    O amigo leitor poderá considerar isto uma espécie de fórmula com sugestões para elaborar sua prática pessoal, em harmonia com a maneira em que tradicionalmente ela têm sido feitas. A sequência em que estas técnicas aparecem aqui listadas segue a estrutura de algumas fundamentias escrituras do Yoga.


    Pedro Kupfer


  • Sádhana é acertar o alvo

    Este texto é a continuação do nosso artigo "Sua prática de Haṭha Yoga". O tema da texto anterior foi a construção do sādhana pessoal. Dentro desse tema ainda, este artigo versa sobre a importância de mantermos o foco no objetivo dessa prática individual e, ao mesmo tempo, aponta alguns caminhos para relacionar-se da melhor maneira com essas técnicas.


    Pedro Kupfer


  • Repensando o Yoga Sutra

    Este texto tem como propósito trazer uma reflexão sobre a maneira em que os yogisolhamos para o nosso texto seminal, o Yoga Sutra. Levando em conta que nosso ponto de partida é reconsiderar a definição de Yoga neste importante śāstra, devemos, desde já, adiantar que o assunto pode suscitar uma polêmica, já que questiona alguns dogmas sustentados por uma expressiva parcela da nação yogika.


    Pedro Kupfer


  • A meditação na tradição yogika -- parte III

    0 false 18 pt 18 pt 0 0 false false false /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:\\\"Table Normal\\\"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-parent:\\\"\\\"; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:\\\"Times New Roman\\\"; mso-ascii-font-family:Cambria; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:\\\"Times New Roman\\\"; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Cambria; mso-hansi-theme-font:minor-latin;} Dando continuidade ao tema da meditação na tradição do Yoga, trazemos agora à apreciação do amigo leitor mais um aspecto desse assunto tão fundamental: algumas considerações práticas sobre a meditação em si, bem como sobre a maneira de aplicar a atitude yogika no cotidiano.


    Pedro Kupfer


  • Tapas é ser mais forte que as próprias fraquezas

    Tapas é o terceiro preceito de conduta dos niyamas, o segundo grupo de recomendações dadas pelo sábio Patañjali no Yoga Sutra. Embora possamos de fato traduzir tapas corretamente como disciplina ou austeridade, uma tradução mais exata seria “esforço sobre si mesmo”.


    Pedro Kupfer


  • De volta ao básico

    Dois amigos professores tiveram seus tapetinhos de prática roubados dentro de uma escola de Yoga. Quando coisas como esta acontecem, é sinal de que devemos revisar o básico


    Pedro Kupfer


  • Antídoto contra a ansiedade

    Ansiedade é sofrer por antecipação ou preocupar-se desnecessariamente com coisas que ainda não aconteceram. Nesse sentido, poderiamos dizer que a ansiedade é o oposto da depressão, embora ambas possam se manifestar juntas. Desde a visão védica, uma emoção ou um pensamento que nos leve à agitação ou à ansiedade são considerados rajásicos, enquanto que pensamentos paralisantes como aqueles que conduzem ao estado de depressão são considerados tamásicos.  


    Pedro Kupfer


  • Aristóteles nas ondas

    Punta de Lobos, uma impressionante ponta de pedra que entra no oceano na região central da costa chilena, é um dos lugares mais privilegiados para a prática do surf, pois recebe as maiores e melhores ondulações do sul do Oceano Pacífico. As ondas desse pico são certamente grandes e podem ser assustadoras para quem está acostumado, como nós, surfistas do Atlântico, às ondas do outro lado do continente, geralmente menores e mais amigáveis.


    Pedro Kupfer


  • Você, tornado

    O que nos faz dizer “eu sou eu”? O neurocientista Francisco Varela comparou o Eu com um tornado: “Tente definir um tornado: algumas partículas de pó, por um fenômeno da física entram em coerência transitória. Não posso atribuir ao tornado uma existência substancial, mas tampouco posso dizer que não exista, pois é evidente a destruição que deixa ”.


    Pedro Kupfer


  • Gentileza gera anugraha

    O Profeta Gentileza estava em plena atividade quando eu morava em Saquarema, no final dos anos 1980 e início da década de 1990. Nascido José Datrino, este paulista de Cafelândia teve uma epifania que o levou a ajudar vítimas de um incêndio na cidade de Niterói e, depois disso, dedicou o resto da sua vida a confortar os demais com palavras e ações amorosas.


    Pedro Kupfer


  • Com o coração

    Quando usamos a expressão “fazer as coisas com o coração”, de modo geral nos referimos a agir com a motivação certa, desde uma postura de sinceridade e honestidade. Por outro lado, dizer que alguém tem “o coração frio” aponta para uma situação em que a pessoa totalmente centrada no próprio interesse, ou que não tem sensibilidade, ou que age com frieza e egoísmo, sem levar em conta os demais.  


    Pedro Kupfer


  • A meditação na tradição yogika -- parte I

    A tradição védica afirma que não há causa real nem razão suficiente para aceitarmos o sofrimento humano como algo natural e para não nos estabelecermos nessa felicidade com as três características que mencionamos acima. Para isso, precisaremos resolver um problema que está vinculado com a ideia que temos sobre nós mesmos.  


    Pedro Kupfer


  • A meditação na tradição yogika -- parte II

    Nesta segunda parte do texto veremos alguns importantes aspectos desta prática, especificamente a relevância do upāsana, a meditação sobre os nomes e formas de Īśvara, o papel dos mantras e a contemplação dos mahāvākyas, as grandes afirmações védicas, que são a síntese da visão do Vedānta.  


    Pedro Kupfer


  • Yoga, surf, eau extrême

    Estou num avião vindo de Paris para o Rio. Abro uma revista e vejo um anúncio insólito, de quatro longas páginas, cujo objetivo é vender perfumes. Porém, ao invés do usual deste tipo de anúncio, um(a) modelo posando e uma frase dizendo como é sofisticado esse perfume, e porque seria necessário comprá-lo, deparo-me com uma longa citação da Bhagavadgītā. Ilustrando as páginas, fotos de um surfista, sua prancha e uma onda, tubular, enorme, daquelas de cortar o fôlego.  


    Pedro Kupfer


  • 15 Desculpas para um professor de Yoga faltar às suas aulas

    Utilidade pública: eis um punhado de boas desculpas que você pode dar ao diretor do espaço onde ensina Yoga quando não estiver com vontade de trabalhar: "perdi a minha lente de contato do terceiro olho e não pude sair de casa..."


    Pedro Kupfer


  • Os siddhis no Yogasutra

    Como resultado das primeiras formas do sabīja samādhi, samādhi “com suporte”, o praticante adquire a qualidade de conhecer áreas da Realidade que são habitualmente inacessíveis. Ao exercer saṁyama sobre um tema, o yogi assimila o siddhi, o poder inerente a essa manifestação. Esses poderes são formas diferentes de relacionar-se com as leis naturais, que visam a estimular o sādhaka, desenvolvendo confiança, para assim conhecer a libertação.


    Pedro Kupfer


  • Desejo, felicidade, conhecimento

    O presente texto, baseado numa série de aulas de Swāmi Dayānanda sobre a grande afirmação védica ayamātmā brahma, “este Ātma é Brahman”, da Bṛhadāraṇyakopaniṣad, versa sobre a constatação de que a felicidade não depende de estudar, praticar, fazer ações de algum tipo, acumular informação ou satisfazer desejos.


    Pedro Kupfer


  • Escolhas, meios e fins

    A visão equivocada que a sociedade tem do Yoga é fruto da confusão entre meios e fins que acontece em alguns círculos dentro do próprio mundo do Yoga. Muitos instrutores desconsideram a visão da vida e o ensinamento sobre si mesmo, julgando serem mera teoria, e acabam se centrando nas técnicas, que passam a ser vistas como objetivos a serem atingidos.


    Pedro Kupfer


  • Tempo e Dignidade

    O setor de emergências de um hospital público de Portugal não parece o melhor lugar para escrever um texto sobre rejuvenescimento. Mas é justamente nesse lugar que comecei a pensar neste artigo, hoje de manhã, enquanto tentava me curar de uma gastroenterite, produto de comer fruta mal lavada. À minha volta, uma série de velhinhas portuguesas, todas vestidas de preto, que certamente haviam sobrevivido aos seus maridos e aguardavam pacientemente comigo para ser atendidas.


    Pedro Kupfer


  • A palavra mágica do Yoga

    Todos conhecemos bem a palavra sânscrita namaste. Até os meus irmãos que não são praticantes de Yoga adotaram o namaste como uma saudação cotidiana, por força de nos ouvir usando esse termo tão lindo, e a gente se diverte com isso. Esta saudação se estendeu atualmente a muitos ambientes alheios ao Yoga e à espiritualidade e até entrou para os dicionários ingleses, por influência dos emigrantes indianos para o Reino Unido.


    Pedro Kupfer


  • Compreendendo o Bhakti Yoga

    O devoto adora seus deuses, mas qual é o lugar que ocupam esses deuses na prática de Yoga? Noutras palavras, quem é “aquele que as pessoas veneram”? Por que fazemos pūjās para Kṛṣṇa, Gaṇeśa, Sarasvatī? Como interpretar essas pūjās à luz da Upaniṣad? Rāma, Śiva, Lakṣmī, são Brahman ou não? Depende de como você interpretar estes nāmarūpas, estes nomes e formas.


    Pedro Kupfer


  • Balanço

    O leitor atento deve ter percebido que a intenção deste colunista é trazer a atenção da nossa comunidade para os contextos culturais e filosóficos onde o Yoga acontece e aconteceu. É sabido que uma parte da nossa comunidade sempre manifestou uma tendência a se focar quase que exclusivamente nos aspectos corporais e superficiais da prática de Yoga, em detrimento da apreciação do Yoga como a visão libertadora que ele é.


    Pedro Kupfer


  • O Yoga como negócio

    Vemos com alguma freqüência entrepreneurs que, olhando para a popularidade que o Yoga está vivendo atualmente, decidem abrir seus próprios “negócios” vinculados a ele. Coloco a palavra negócio entre aspas, pois até hoje me choca essa associação do Yoga com uma empresa que objetiva apenas o lucro.


    Pedro Kupfer


  • O caminho do meio no Hatha Yoga

    Quando pensamos em certos tipo de prática de Haṭha Yoga que estão em voga, vêm à mente a coisas como esforço excessivo, copiosa transpiração, respiração pesada e, em alguns casos, tensão e lesões. Vemos, com alguma frequência, pessoas se esforçando muito além da conta, praticando como se não houvesse amanhã, com atitudes de fanatismo e irresponsabilidade.  


    Pedro Kupfer


  • Os Valores do Yoga

    Há muitos anos já vivo fascinado por uma lista de valores que Krishna ensina para Arjuna naquele diálogo essencial sobre Yoga que é a Bhagavadgītā. Essa parte da instrução sobre como aplicar o Yoga na vida através das atitudes ocupa as estrofes oito a 12 do capítulo XIII desse importante texto. Cultivar valores no cotidiano é essencial para se ter uma vida tranquila e feliz.  


    Pedro Kupfer


  • O Yoga do Julgamento

    Existe uma sorte de consenso, em alguns círculos de praticantes de Yoga, que diz respeito ao fato de que julgar seria algo notadamente ruim. Assim, diz-se que não devemos julgar a nós mesmos e, muito menos, dirigir julgamentos aos demais ou ao que eles fazem. Nesse sentido vemos que acontece em relação à palavra julgamento, a mesma distorção que testemunhamos em relação à palavra karma: o termo é usado para se referir aos frutos indesejáveis de uma ação quando, a bem da verdade, karma significa apenas "ação", e é um termo neutro.  


    Pedro Kupfer


  • Um olhar diferente sobre a religião

    Este texto nasceu inspirado num retiro guiado por Swāmi Dayānanda em março de 2011 na cidade sagrada de Rishikesh, às margens do rio Ganges. O tema desse encontro foi o diálogo entre Yājñavalkya e Maitreyī, da Bṛhadāraṇyaka Upaniṣad. Embora o assunto religião não seja explicitamente mencionado nesse texto, Swāmijī o trouxe como reflexão durante o retiro, dada sua capital relevância nos dias atuais.


    Pedro Kupfer


  • O Teste do Guru

    Se sete ou mais dos ítens desta lista forem descritivos do seu guru ou mestre espiritual, existe uma grande chance dele não ser tão iluminado quanto alega. Ainda, você corre o risco de estar se relacionando com alguém potencialmente nocivo para você e para seu caminho espiritual. Hoje em dia, verificamos com preocupação o aparecimento de vários líderes com perfil despótico e lesivo para seus alunos.


    Pedro Kupfer


  • Kant e o Dharma

    Ha paralelismos insuspeitados e surpreendentes entre a visão do dharma e a de alguns filósofos ocidentais, como é o caso de Immanuel Kant. Ele foi um dos filósofos mais importantes da Alemanha no século XVIII.


    Pedro Kupfer


  • Yoga no mar

     Surf e Yoga têm tudo a ver. O surf pode ser visto como uma prolongação da prática de Yoga e o Yoga como um complemento natural do surf, ou viceversa. Quando feito com a atitude correta, com o que o estudioso Georg Feuerstein chama de "pensamentoyogue aplicado", o surf pode ser considerado uma forma de Karma Yoga, o Yoga da ação consciente.


    Pedro Kupfer


  • Mestres mequetrefes e gurus de verdade

    É impossível negar a influência que o Yoga tem hoje em dia sobre centenas de milhares de ocidentais. Estrelas de Hollywood, pop stars e atletas famosos estão voltando seus interesses para esta prática que surgiu em tempos neolíticos na Índia. A descoberta de si próprio está na moda!


    Pedro Kupfer


  • Conduta yogika 2.0

    Com fazer nossas escolhas, quando defrontados com dilemas aparentemente insolúveis desde o ponto de vista ético? Como conduzir nossas ações para nos manter alinhados com o princípio da não-violência? Como devemos ou podemos viver, de fato, a vida de Yoga?


    Pedro Kupfer


  • Equanimidade ou indiferença?

    Você está andando numa rua escura. Virando uma esquina, vê um homem batendo numa mulher. O que você faz? Passa ao longo fingindo que nada viu ou intercede em favor da vítima? Possuo a firme convicção de que a postura do yogi perante o mundo (bem como o lugar que ele ocupa em nossa sociedade), deve ser embasada na correta compreensão dos ensinamentos que a nossa bela tradição nos legou.


    Pedro Kupfer


  • O Yoga.pro no Google

    O que as pessoas buscam ou querem quando pensam no Yoga? O que elas acham que o Yoga seja? Que tipo de informação esperam achar num site como este? Hoje estava olhando para as estatísticas deste website e me chamou muito a atenção o tipo de frase que os internautas digitam em mecanismos de busca, que fazem com que elas entrem aqui.  


    Pedro Kupfer


  • Quanta felicidade?

    A felicidade impermanente aumenta ou diminui segundo o caso, mas sempre tem um limite a partir do qual seu oposto, a tristeza, começa a se manifestar. É assim com todos os pares de opostos. No movimento do pêndulo, a partir de um dado momento, o que estava subindo começa a descer. Não existe crescimento ilimitado, prosperidade ilimitada, nem força física ilimitada. Expansão e recolhimento são as duas caras dessa moeda: uma não existe sem a outra. 


    Pedro Kupfer


  • Tic-tac, tic-tac: o tempo na visão hindu

    O dicionário nos diz sobre a palavra tempo: “duração relativa das coisas que cria no ser humano a idéia de presente, passado e futuro; período contínuo e indefinido no qual os eventos se sucedem”. A ideia que surge desta definição, característica de como o ocidente enxerga o tempo, é a de uma progressão linear. 


    Pedro Kupfer


  • Para que serve o Hatha Yoga?

    O Hatha Yoga pode literalmente dar uma vida nova a quem o pratica. O estilo de vida que ele propõe é muito saudável e aponta para uma existência longeva, em harmonia com o meio-ambiente e a sociedade. A través das práticas físicas, adquire-se um corpo novo, mais saudável e flexível, que possibilitará ter uma vida mais longa e com mais qualidade de vida.


    Pedro Kupfer


  • Dharma sem drama

    Ouvimos muito falar em dharma. Usamos esta palavra com alguma frequência nas conversações sobre Yoga, mas às vezes, percebo que o que alguns compreendem como sendo dharma é diferente do que outros pensam ou falam. Assim, decidi escrever este texto como uma maneira de contribuir para a compreensão desse importante conceito, à luz do que aprendi com meu mestre. 


    Pedro Kupfer


  • Porno Yoga

    O fim da picada: mistura de Yoga e pornografia promovida pela revista Playboy para vender seus hipersexualizados “produtos”. Essa iniciativa visa, assim como as ações das outras multinacionais que tentam associar sua imagem ao Yoga, o claro e excuso objetivo de lucrar com nosso estilo de vida.


    Pedro Kupfer


  • Alguns Yogas

    Desde tempos imemoriais, o Yoga esteve vinculado à busca da liberdade. Por paradoxal que possa ser buscar algo que nós somos (uma vez que o Yoga ensina que aquilo que buscamos é o que de fato já somos), esse é o objetivo, e todo o esforço do praticante está centrado na completude desse processo de crescimento interior


    Pedro Kupfer


  • Murtis da casa

    Estas são algumas fotografias das murtis, as imagens sagradas e altares da nossa casa na praia do Mariscal. Foram feitas com uma câmera que imita aquelas Instamatics antigas, e não receberam nenhum retoque digital posterior. Ou seja, são photoshop free. Esperamos que gostem. Namaste!


    Pedro Kupfer


  • Bhujapidásana

    Bhujapidásana significa "postura da pressão nos braços". O nome se refere, evidentemente, à força que é colocada sobre os ombros e braços para sustentar o peso do tronco e o quadril sobre as mãos. Este é um ásana de execução relativamente fácil: o único que se precisa para dominá-lo é algo de força nos braços, bastante equilíbrio, e uma boa mobilidade no quadril.


    Pedro Kupfer


  • O Templo do Yoga

    O Yoga é como um templo: uma belíssima construção feita dos mais nobres materiais. Esse templo é o produto da contribuição de inúmeras gerações de sábios e yogis, que deram o melhor de si mesmos para esta obra. É o resultado de visões e revelações dos mestres ancestrais sobre o sentido da existência e como realizar nesta vida as mais altas aspirações humanas. Esse templo recebeu o fruto de milhares de praticantes silenciosos que o enriqueceram com suas dádivas.


    Pedro Kupfer


  • O papel do yogi

    Viver é representar papéis. Não há existência sem cumprir deveres, realizar ações e obrigações. Somos mãe ou pai, filho ou filha, irmão ou irmã, etc. em cada uma dessas posições, cultivamos atitudes e modos diferentes de nos comunicar. A maneira em que falamos com nossos pais, por exemplo, é diferente da que usamos para nos dirigir aos nossos filhos. Representamos papéis no trabalho, na sociedade, na nação, no país, no bairro, em casa, o tempo todo.


    Pedro Kupfer


  • Criatividade e tradição

    Qual é o limite entre criatividade e tradição? Até onde poderíamos usar nossa liberdade pessoal como yogis sem deformar o que aprendemos com nossos professores? Acredito que a resposta a estas questões esteja na correta compreensão do que o Yoga é, e da maneira em que ele funciona. Lembremos então que o Yoga tradicional é uma forma de vida que abrange duas dimensões.


    Pedro Kupfer


  • O legado da mente indiana

    Muito se fala sobre a mente indiana. Algumas pessoas tendem a ver a sociedade, a cultura e a civilização indianas como algo exótico e muito diferente do que é familiar para nós, e que chamamos de cultura ou civilização ocidental. Este texto tem o objetivo de descrever e ajudar na compreensão do que seria a mente indiana, e também demonstrar que aquilo que parece exótico, talvez não seja tão diferente do que consideramos nosso.


    Pedro Kupfer


  • A tribo dos yogis, ontem e hoje

    Olhando o panorama dos praticantes de Yoga de hoje em dia, pode surgir a curiosidade por comparar o grupo desses praticantes que somos com os relatos que chegaram até nós sobre os yogis da antiguidade. Há vários estudos sociológicos do Yoga que surgiram ao longo dos séculos. Nesse sentido, um dos mais conhecidos sobre os praticantes aparece na Shiva Samhita, que apresenta uma interessante descrição dos diferentes tipos de yogis do passado e a relação que eles estabeleceram com o Yoga.


    Pedro Kupfer


  • Quanto sabemos sobre a respiração yogika?

    Existe uma espécie de consenso em torno do que se conhece como prana kriya, respiração completa, ou respiração yogika. Esse consenso afirma que há três fases na respiração: alta, média e baixa, e que essas três fases devem ser feitas seguindo uma ordem determinada. Essa ordem seria de baixo para cima ao inspirar, e de cima para baixo ao expirar. Nove entre dez professores de Yoga irão ensinar a respiração completa dessa forma.


    Pedro Kupfer


  • Perguntas e respostas sobre Yoga, para iniciantes

    Por que os resultados de um mesmo tipo de prática variam de pessoa para pessoa? Por que somos diferentes, por que não existem dois corpos idênticos, ou duas mentes que funcionem da mesma forma. Assim, as práticas podem produzir resultados diferentes em pessoas diferentes.


    Pedro Kupfer


  • Proibido praticar

    Este texto não noticia que o Yoga esteja sob ataque de forças ocultas, nem fala sobre um complô ou propõe uma teoria conspiratória contra ele. Não obstante, lista uma série de acontecimentos, alguns recentes e outros nem tanto, que revelam a forma em que certas lideranças religiosas e políticas orientam as pessoas sob sua égide a se relacionar com esta escola de vida que é o Yoga.


    Pedro Kupfer


  • Dicas importantes para praticar

    Este é o terceiro de uma série de três textos breves, cujo tema é a construção da prática pessoal. Ele se complementa com Elementos essenciais para montar uma prática de Hatha Yoga e Como montar uma série equilibrada de ásanas. Esperamos que eles sejam úteis para estimular a prática pessoal.


    Pedro Kupfer


  • Elementos essenciais para montar uma prática de Hatha Yoga

    Este é o segundo de uma série de três textos breves, cujo tema é a construção da prática pessoal. Ele se complementa com Dicas importantes para praticar e Como montar uma série equilibrada de ásanas. Esperamos que eles sejam úteis para estimular sua prática pessoal.


    Pedro Kupfer


  • Como montar uma série equilibrada de ásanas

    Este é o primeiro de uma série de três textos breves, cujo tema é a construção da prática pessoal. Ele se complementa com Elementos essenciais para montar uma prática completa de Hatha Yoga e Dicas importantes para praticar, que estão disponíveis neste mesmo site. Esperamos que eles sejam úteis para estimular a sua prática pessoal.


    Pedro Kupfer


  • A verdade sobre Maxime Vangelier

    O artigo O Pensamento Vivo de Maxime Vangelier é uma sátira que fizemos para protestar contra a superficialidade com que o assunto autoconhecimento é tratado atualmente. Maxime Vangelier nunca existiu. Esse texto foi montado para parecer real e interessante numa leitura rápida, mas é um absurdo, do início ao fim.


    Pedro Kupfer


  • Crônica de Lakshmanjhula

    Nos dias livres dos retiros em Rishikesh, vamos andando até Lakshmanjhula, para tomar banho no rio, almoçar ou buscar algum livro interessante. Para chegar, é necessário subir a beira oriental do Ganges. Numa certa altura as coisas começam a mudar. Sorria: você está em Lakshmanjhula.


    Pedro Kupfer


  • Patañjali, o tântrico

    Recebi recentemente uma interessante mensagem de um praticante fazendo, em nome do Yoga tântrico, uma série da categóricas afirmações sobre o Yoga Sutra. Dentre outras coisas, afirmava o colega que a obra clássica de Patañjali não menciona prana, chakras, nadis nem kundalini. Como discordo completamente dessa opinião, escolhi deliberadamente o título provocativo deste texto, com o objetivo de instigar a curiosidade do amigo leitor.


    Pedro Kupfer


  • Mais uma razão para ser vegetariano: cachorro no prato

    Qual seria a diferença entre comer um cachorro e um porco? Por que tendemos a ver o porco, animal conhecido pela inteligência, como comida, e o cão como o nosso melhor amigo? A ironia do caso é que nem sempre o consumidor de carnes ingere exatamente aquilo que imagina. Isso nem sempre acontece. Pelo menos, nem sempre acontece em alguns lugares do Brasil.


    Pedro Kupfer


  • 2012: mais um fim do mundo vem aí!

    A palavra escatologia vem do grego e quer dizer, literalmente, “estudo do fim” (eschato significa último, extremo). Curiosamente, t ambém é usada na medicina como sinônimo da coprologia, o ramo que estuda os excrementos.


    Pedro Kupfer


  • A qualidade de vida e o paradoxo da cidade grande

    As grandes cidades brasileiras impõem um modo de vida assustador, por todos conhecido: o medo à flor da pele, a barbárie nas ruas, a perda da tranquilidade nos espaços públicos, a insegurança e, conseqüentemente, a perda do sossego de todos. Como resolver o paradoxo boa educação e futuro para os filhos, versus viver no mundo real?


    Pedro Kupfer


  • Bye bye cigarro, bye bye incenso

    Uma das mais insuspeitadas derivações da recentemente aprovada lei antifumo, que fez muitos paulistanos respirarem aliviados, é que ela também proíbe implicitamente o uso do incenso. As escolas de Yoga são espaços abertos e “de uso coletivo”, e se enquadram perfeitamente dentro das premissas dessa nova lei.


    Pedro Kupfer


  • O Yoga no mito grego de Teseu e o Minotauro

    A jornada do herói em busca de si mesmo, que aparece na mitologia grega de muitas maneiras diferentes, como nos mitos de Orfeu e Ulisses, encontra sua melhor tradução na história de Teseu e o Minotauro. Ela cai como uma luva para ilustrar a camihada do yogi em busca de si mesmo.


    Pedro Kupfer


  • As parábolas do Vedanta

    Embora o ensinamento do Vedanta seja meridianamente simples (você já é a felicidade que está procurando), a profundidade da maneira em que esta visão é transmitida, a deixa fora do alcance da maior parte das pessoas. Para superar essa dificuldade, os mestres optaram por transmitir o ensinamento através de ilustrações práticas do cotidiano, para termos a oportunidade de compreender a verdade da maneira mais direta e acessível.


    Pedro Kupfer


  • Você é Consciência, Realidade, Amor

    A Chandogya Upanishad, um belo texto antigo do Yoga, nos ensina sobre a natureza do Ser, partindo de uma situação peculiar: o grande sábio Uddalaka Aruni envia seu filho Svetaketu, então com doze anos de idade, para estudar com um renomado mestre, com quem vive durante mais doze anos


    Pedro Kupfer


  • Sexualidade ativa ou celibato?

    Sendo o Yoga uma visão que abrange todos os aspectos da existência, a sexualidade não poderia fica de fora. Brahmacharya é o preceito que nos ajuda a viver a sexualidade, seja cultivando-a de maneira compassiva, seja transcendendo-a e renunciando a ela


    Pedro Kupfer


  • O que traz paz ao dia-a-dia?

    Acredito que a única coisa que pode nos dar paz, mas paz verdadeira, é sermos capazes de saber quem somos e o que estamos fazendo aqui nesta vida


    Pedro Kupfer


  • Karma é fatalidade?

    Na tradição shivaísta, Garuda, o deus-águia, aparece como guardião do deus Shiva. No Shiva Purana conta que, uma vez, Garuda, montava guarda no alto do Monte Kailash


    Pedro Kupfer


  • Como funciona o samskara?

    O samskara é o conjunto das tendências subconscientes, de caráter inato e hereditário, causa dos condicionamentos. As vasanas são os desejos subliminares que funcionam como força motriz dos pensamentos e ações do indivíduo


    Pedro Kupfer


  • Fatos, crenças e soluções

    Eis um pequeno resumo do que somos, como nos vemos e como vivemos, com algumas soluções que o Vedanta e o Yoga apontam para separar fatos de crenças e ter uma vida mais tranqüila e feliz


    Pedro Kupfer


  • Iluminação para que?

    Desde tempos imemoriais, a meta do Yoga tem sido a iluminação. Tem várias formas de se dizer iluminação em sânscrito: mokṣa, nirvāṇa ou kaivalya


    Pedro Kupfer


  • Coincidência, superstição e causalidade

    Embora seja verdade que existe uma conexão intrínseca entre a Consciência Única e todas as formas e seres, isso não se estende a todos os aspectos da realidade, quando observada desde o ego de cada um


    Pedro Kupfer


  • Por que Yoga?

    Por que deveria eu fazer praticar Yoga? Você deveria considerar a prática de Yoga, em primeiro lugar, porque você é um ser humano


    Pedro Kupfer


  • Yoga tradicional vs. Yoga de marca

    Os diferentes ramos do Yoga são etapas e não sistemas separados. Esses ramos dialogam constantemente entre si e espera-se que o praticante os use adequadamente, conforme o momento e a necessidade


    Pedro Kupfer


  • Você quer a boa vida?

    A qualidade de vida é um ideal bastante difuso mas que, aparentemente, estamos todos precisando. Hoje em dia, é obrigatório termos qualidade de vida


    Pedro Kupfer


  • Filosofar o ásana?

    Já ouvi várias vezes, na recente polêmica sobre se o Yoga seria uma forma de Educação Física, que 'Yoga não é ginástica porque tem filosofia'. Esse argumento foi usado com muito sucesso por um grupo de professores numa Audiência Pública em defesa do Yoga no Senado


    Pedro Kupfer


  • O yogi e a morte

    Compreender o que acontece na morte ajuda-nos a apreciar melhor a vida


    Pedro Kupfer


  • A plenitude está a seis passos

    A grande guerra se aproxima e Dhritarashtra, o rei cego, patriarca dos Kurus, não pode dormir. O remorso, a dúvida e o medo da morte estão corroendo seu coração. Ele está preocupado com o destino dos seus filhos, que irão enfrentar os maiores guerreiros daquela era


    Pedro Kupfer


  • Quem é mais feliz?

    Ouvi esta história no Nepal, ano passado: um jovem cortador de pedra que trabalhava na chuva, pensou: 'sou totalmente limitado e insignificante. Queria me sentir melhor, ser diferente


    Pedro Kupfer


  • Os ásanas segundo Patañjali

    Todos os praticantes nos deparamos, cedo ou tarde, com a definição clássica que o sábio Patañjali dá sobre os ásanas no Yoga Sutra: 'ásana é a postura, firme e confortável


    Pedro Kupfer


  • Os yogis não somos geladeiras!

    Já ouvi várias vezes esta pergunta: 'é verdade que o praticante torna-se uma pessoa fria, indiferente às coisas do mundo ou aos problemas dos demais?'


    Pedro Kupfer


  • Gandhi, Hitler e a não-violência

    Muito se romantiza atualmente a imagem de Mahatma Gandhi, mas o amigo leitor já se perguntou se a imagem que nós temos atualmente deste carismático líder é 100% verdadeira?


    Pedro Kupfer


  • Tattwa shuddhi

    Tattwa shuddhi é a purificação dos elementos do corpo e do psiquismo. Os cinco tattwas: terra, água, fogo, ar e espaço não devem ser interpretados no sentido literal


    Pedro Kupfer


  • Yoga em Academias - Parte I: impressões de um outsider

    Se estivermos vendo uma polémica estúdios versus academias se formando, é preciso ponderar as razões por trás disso. Sem querer tomar partido nem jogar lenha na fogueira, deixo aqui a minha contribuição para uma reflexão que seja construtiva para todos


    Pedro Kupfer


  • Max Muller e o problema das traduções do Rig Veda

    Durante meus períodos de estudo na Índia, fiquei muito surpreso com a imagem negativa que meus professores indianos tinham de Max Muller. Assim, fui pesquisar para tirar minhas próprias conclusões


    Pedro Kupfer


  • Cronologias Histórica e Literária da Índia Antiga

    A civilização que deu origem ao Yoga, ensinou-nos igualmente a viver em cidades e a conviver através do comércio e do trabalho industrioso


    Pedro Kupfer


  • A Dieta do Pulgão

    Cochonilha é o nome de uma cucaracha mexicana conhecida popularmente como pulgão, um inseto parasita que provavelmente você coloca na boca diariamente ao comer yogurtes, gelecas, biscoitos e outras porcarias industrializadas


    Pedro Kupfer


  • O Yoga e a espiritualidade engajada

    Durante os últimos anos da ditadura militar no Uruguai, meus quatro irmãos e eu estávamos fartos daquela mentalidade estreita e daquela falta de liberdade e começamos, junto com outros jovens, a organizar e participar de manifestações e protestos


    Pedro Kupfer


  • Yoga Sutra, I:18: iluminação e reflexão

    Ao surgir esse estado, os samskaras não frutificam nem formam novos vrittis, mas permanecem apenas em estado latente, como 'sementes queimadas'


    Pedro Kupfer


  • Meditação no anáhata chakra

    O domínio do anáhata chakra facilita o controle sobre o prána, o elemento váyu (ar) e os indriyas (sentidos e órgãos de ação). A meditação contém kaya sthairyam, ákásh pránáyáma, bíja mantra e visualização.


    Pedro Kupfer


  • Meditação no manipura chakra

    A prática inclui kaya sthairyam, ákásh pránáyáma, bíja mantra e a visualização dos símbolos e deidades do chakra. O manipura se vincula a agni (o elemento fogo), ao poder interior, à capacidade de realização, à raiva e à digestão


    Pedro Kupfer


  • Antar mouna, estágio II

    A atenção se recolhe. Os estímulos exteriores cessam. A consciência se focaliza no processo mental: o que se pensa, como se pensa, quais os conteúdos do pensamento. Podem surgir tensões, experiências passadas ou desejos reprimidos


    Pedro Kupfer


  • Antar mouna, estágio III

    Voluntariamente, você deixa surgir, observa e elimina pensamentos e impressões latentes. Isto desenvolve a capacidade de auto-análise. Cada experiência que não for corretamente analisada e descartada, volta ao subconsciente


    Pedro Kupfer


  • A iluminação e o pensamento harmonioso: Yoga Sutra, I:17

    Este extenso artigo é um comentário do sutra 17, no qual o sábio Patañjali explica as modalidades de iluminação do Yoga


    Pedro Kupfer


  • Meditação nas quatro afirmações vêdicas

    Mahavakya é o conjunto das quatro grandes afirmações vêdicas. São aforismos que aludem de diferentes maneiras ao Ser, sintetizando a essência do conhecimento yogik


    Pedro Kupfer


  • Jyotirdhyana, a visão da luz interior

    Nesta técnica, você adquire a capacidade de retrair o sentido da visão, fechando-se aos estímulos exteriores que alimentam a atividade mental através do olhar


    Pedro Kupfer


  • Chandra pranayama

    Este respiratório ativa a narina de polaridade negativa, ida, simbolizada pela imagem da lua, e associada à cor azul, à introspeção e à feminilidade


    Pedro Kupfer


  • Yoga e epilepsia

    Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde, estima-se que aproximadamente 50 milhões de pessoas sofram no mundo de epilepsia. O Yoga pode ser de muita valia na prevenção e no auxílio ao tratamento desta moléstia. A prática das posturas é eficiente, não apenas no sentido de prevenção, mas no de atenuar os sintomas uma vez que a doença já estiver instalada. Através de uma prática breve, de ásanas simples e suaves, de 15 a 30 minutos diários, associados à prática de relaxamento, pranayama (respiratórios) e meditação, podem ser verificados excelentes resultados.


    Pedro Kupfer


  • Parivritta Parshvakonásana: a torção estendida em pé

    Esta postura é uma das mais importantes torções em pé, fundamental para fortalecer a base, as pernas e a parte inferior do tronco


    Pedro Kupfer


  • Samavritta pranayama, a respiração simétrica

    Esta seqüência de ciclos respiratórios, que alterna retenções com e sem ar com ciclos de respiração completa sem retenções, tem a virtude de aquietar o pensamento


    Pedro Kupfer


  • Prática para dinamização da força vital

    A Hatha Yoga Pradipika recomenda fazer esta prática para dinamização da força vital


    Pedro Kupfer


  • Shalabhásana, a postura do gafanhoto

    Esta postura é ideal para fortalecer o quadrado lombar e a musculatura das costas. Um quadrado lombar fortalecido e resistente é essencial para manter a integridade e a saúde das vértebras e discos da parte baixa do tronco


    Pedro Kupfer


  • O Yoga e o naufrágio do Ocidente

    Que o Yoga está em alta há alguns anos, já não é novidade para ninguém. No entanto, cabe nos fazer a seguinte pergunta: como pode explicar-se esta situação?


    Pedro Kupfer


  • Confissões de um Tántrico

    Após haver convivido por alguns anos com as mais diversas espécies de pessoas no mundo do Yoga, a gente fica com a nítida sensação de estar num zoológico


    Pedro Kupfer


  • Como mover-se na prática de ásana?

    Os quatro membros, a cabeça e o tronco, estão conectados pelo núcleo central do corpo, que fica na região do umbigo. Na fisiologia sutil do Yoga, essa região recebe o nome de kanda


    Pedro Kupfer


  • O Yoga no dicionário

    Para termos uma idéia mais cabal de como o Ocidente vê o Yoga, nada melhor do que visitarmos os dicionários, para saber o quê os lexicógrafos acham sobre essa cultura filosófica


    Pedro Kupfer


  • Como fazer o mula bandha

    Às vezes, ouvimos dizer que mula bandha é a contração dos esfíncteres do ânus e da uretra. Porém, a bem da verdade, este bandha vai muito além do que apenas


    Pedro Kupfer


  • Crônica de um casório indiano

    O Vivaha é o mais importante dos rituais hindus. Dá-se grande importância ao casamento, pois considera-se que a vida em família é o estado natural dos seres humanos, e onde nós temos mais


    Pedro Kupfer


  • Como machucar-se praticando Yoga

    Em primeiro lugar, esqueça esse tal de bom-senso, pois ele só atrapalha, e as primeiras lesões irão demorar muito para aparecer. Acostume-se a ignorar os sinais que seu corpo lhe envia


    Pedro Kupfer


  • Oriente-se ou acidente-se!

    Embora as práticas \\\'físicas\\\' do Yoga, chamadas ásanas, sejam muito benéficas, existem potenciais perigos quando a técnica certa é aplicada na situaçao errada, ou quando a prática errada é aplicada na situação certa


    Pedro Kupfer


  • Pranayama vêdico

    Este pranayama se faz combinando a respiração completa alternada (nadhi shodhana) com a recitação mental de uma seqüência de três mantras, um para cada fase da respiração


    Pedro Kupfer


  • Sirsasana, a inversão sobre a cabeça

    Proceda desta maneira: começe a partir do kūrmāsana, sobre os calcanhares, deitado sobre as coxas. Forme um triângulo entre os antebraços, cotovelos e mãos, sobre o qual você irá construir a inversão. A cabeça não fica entre as palmas, mas no espaço entre as partes internas dos punhos. Inspire, elevando o quadrl, andando com as pontas dos pés em direção à cabeça. Alivie o peso no pescoço e a cabeça, mantendo bem ativos os antebraços, braços e ombros. Não deve haver peso nem compressão dos discos intervertebrais cervicais. O topo da cabeça fica no chão, mas todo o peso deve ficar nos ombros, braços e antebraços.


    Pedro Kupfer


  • Urdhva dhanurasana

    Urdhva = elevado, para cima, Mdhanura = arco; \\\'postura do arco elevado\\\'


    Pedro Kupfer


  • Upavishta konasana

    Upavishta = sentado, kona = ângulo; 'postura do ângulo, sentada'


    Pedro Kupfer


  • Ardha baddha padma paschimottanasana

    Ardha = metade, baddha = entrelaçado, padma = lótus, paschima = oeste (aqui, designa as costas), uttana = alongamento intenso. \\\'Postura do alongamento intenso das


    Pedro Kupfer


  • Janushirshasana

    Janu = joelho, shirsha = cabeça; 'postura da cabeça em direção ao joelho'


    Pedro Kupfer


  • Parshvottanasana

    Parshva = lado, uttana = alongamento intenso: "postura de alongamento lateral intenso"


    Pedro Kupfer


  • Ir à Índia? Para que?

    É muito conveniente, face ao desejo ou à vontade de visitar terras indianas, refletir sobre as seguintes questões: "O que eu quero fazer lá? Qual é o propósito da minha viagem?"


    Pedro Kupfer


  • Prasarita padottanásana

    Prasarita = afastado, pada = pé, uttana = alongamento intenso; 'postura de alongamento intenso com os pés afastados'


    Pedro Kupfer


  • Introdução ao estudo da Bhagavad Gita

    A Bhagavad Gita começa afirmando que não há causa real para aceitarmos o sofrimento como algo natural. A falta de habilidade do ser humano para lidar com seus problemas deriva da falta de


    Pedro Kupfer


  • Marichyasana A, a flexão do sábio Marichi

    Esta é uma flexão da coluna vertebral muito eficiente para tonificar e fortalecer os órgãos internos, bem como para dinamizar as forças vitais que circulam na região do tronco, prána e apana vayu


    Pedro Kupfer


  • Marichyasana C, a torção do sábio Marichi

    Esta é uma torção da coluna vertebral bastante intensa, e muito eficiente para tonificar a musculatura e os órgãos internos na região inferior do tronco


    Pedro Kupfer


  • Vrikshásana, a postura da árvore

    Pense na firmeza e na força de uma árvore. Igualmente, desenvolva a capacidade de ver a si mesmo e às demais pessoas como se fossem árvores: cada uma diferente, cada uma única em sua individualidade


    Pedro Kupfer


  • Matsyásana, a postura do peixe

    Esta é a compensação da postura invertida sobre os ombros (sarvangásana)


    Pedro Kupfer


  • Bhramari, o pranayama do vôo da abelha

    Bhramari é um dos exercícios mais eficientes de retração dos sentidos. A retração dos sentidos é o passo prévio e essencial para realizar os estados mais profundos da meditação


    Pedro Kupfer


  • A iluminação no cotidiano

    A tradição yogika conhece dois caminhos diferentes que conduzem à iluminação. Destes, o primeiro é o da prática constante e o desapego (abhyasa e vairagya). O segundo caminho que propõe a iluminação como forma de vida é muito menos conhecido.


    Pedro Kupfer


  • Coração, iluminação e liberdade

    Este texto tem como objetivo traçar um mapa e apontar direções possíveis para o crescimento interior, usando as ferramentas e a visão que o Yoga tem do ser humano


    Pedro Kupfer


  • Chaturanga dandasana, a posição de quatro apoios

    Tudo o que você estudou e já sabe em termos de alinhamento e encaixe em relação à posição inicial (procure nesta mesma seção o artigo sobre samasthitih / tadasana), vale também para esta postura.


    Pedro Kupfer


  • Urdhvamukha svanasana, a posição do cachorro olhando para cima

    Esta é uma das mais importantes posturas do Hatha Yoga. Ela faz parte do surya namaskar, a Saudação ao Sol, embora seja igualmente um ásana que se faz independentemente dessa seqüência.


    Pedro Kupfer


  • Adhomukha svanasana, a posição do cachorro olhando para baixo

    Adhomukha svanasana é uma postura que combina ao mesmo tempo os benefícios de uma inversão com o fortalecimento da base de outras posturas de estabilidade, tanto sobre os braços como sobre as pernas.


    Pedro Kupfer


  • Nada, a sonoridade interior

    Ao fechar-se os ouvidos com ajuda dos polegares ouve-se o som do espaço que está no interior do coração, cuja aparência assume sete formas


    Pedro Kupfer


  • Purvottanasana, o alongamento frontal

    Esta postura é uma compensação natural do paschimottanasana, pois trabalha para fortalecer as costas, que foram alongadas naquela posição


    Pedro Kupfer


  • Paschimottanasana, a postura da pinça

    Esta é uma das mais antigas e importantes posições do Hatha Yoga, pois aparece em textos antigos, como a Hatha Yoga Pradípika, de mais de cinco séculos atrás


    Pedro Kupfer


  • Virabhadrasana I, a postura de Virabhadra

    Observe as sensações no coração e perceba a conexão entre ele, a base do tronco e o crescimento vertical na postura


    Pedro Kupfer


  • Virabhadrasana II

    Virabhadrasana é a postura do guerreiro, encarnação da fúria do deus Shiva. Este é um dos ásanas fundamentais em pé, e trabalha intensamente a estabilidade e o "aterramento"


    Pedro Kupfer


  • O papel do mestre

    A palavra guru significa literalmente 'pesado', e pode ser traduzida como 'aquele cuja opinião tem peso'. O papel do mestre sempre foi fundamental na caminhada do auto-conhecimento


    Pedro Kupfer


  • Obstáculos para a prática de Yoga

    A palavra obstáculo, em sânscrito, antaraya, significa literalmente 'interpor-se' ou 'ficar no meio'. Os obstáculos podem aparecer sob roupagens muito diferentes, tanto físicas quando psicológicas


    Pedro Kupfer


  • Tantra + Vedanta = Hatha Yoga?

    A aparente divergência nos pontos de vista do Vedanta e do Tantra é mais um produto da desinformação e do preconceito do que algo real


    Pedro Kupfer


  • A visão do corpo no Hatha Yoga

    No Hatha Yoga, ou 'Yoga da Força', o foco das práticas passa a ser o corpo, usado como ponto de partida para a investigação das realidades mais sutis e profundas dessa unidade chamada ser humano


    Pedro Kupfer


  • Padangushthasana e padahastasana

    Para aumentar a flexibilidade das costas, especialmente na região lombar, contraia os punhos com força por 40 segundos (mushti mudra). Experimente qual é o grau de flexibilidade, sem forçar, antes e depois de fazer isso


    Pedro Kupfer


  • Utthita trikonasana

    Eleve os arcos dos pés, mantendo os dedos ativos. O pé de trás fica num ângulo de 90 a 65 graus em relação ao pé da frente. Mantenha as pernas ativas, colocando mais peso na perna de trás


    Pedro Kupfer


  • Bhuta shuddhi: prática para sublimar todas as emoções

    Tudo o que somos é o resultado do que pensamos, é baseado em nossos pensamentos, é feito de nossos pensamentos


    Pedro Kupfer


  • Bhuta shuddhi: prática para sublimar o ódio

    O ódio e emoções semelhantes, como rancor, inimizade, antipatia, repulsão, desprezo e abominação, movimentam uma enorme energia e enfraquecem a pessoa


    Pedro Kupfer


  • Bhuta shuddhi: prática para sublimar o ciúme

    O ciúme e a inveja se relacionam com a possessividade. O praticante de Yoga deve ter especial cuidado em evitar a possessividade e outras formas de apego negativo


    Pedro Kupfer


  • Bhuta shuddhi: prática para sublimar o medo

    Todos temos, em maior ou menor grau, alguma forma de medo: de enfrentar certas situações, de dizer a verdade a quem precisa ouvi-la, de mudanças, temor do desconhecido ou ainda eventuais momentos de angústia ou pânico


    Pedro Kupfer


  • Bhuta shuddhi das emoções

    Ficando atentos à atividade mental, verificaremos a presença dos vrittis, vórtices da atividade consciente que se formam de acordo com nosso samskara, dando origem aos pensamentos e à vida consciente e subconsciente


    Pedro Kupfer


  • Bhuta shuddhi dos elementos

    Bhuta shuddhi, a purificação dos elementos do corpo físico, é um dos procedimentos do Yoga tântrico. Bhuta significa elemento, embora também possa ser traduzido como ser, existência, produzir ou formar


    Pedro Kupfer


  • Shiva Samhita - Coleção de Ensinamentos de Shiva

    O nome Shiva Samhita significa em sânscrito \\\'Coleção [de Ensinamentos] de Shiva\\\'. É um texto em 540 estrofes sobre Hatha Yoga datado do século XVII desta era.


    Pedro Kupfer


  • Utthita parshvakonasana

    Esta postura trabalha nos chakras inferiores, fortalece a base do tronco e estreita a relação do praticante com o elemento terra


    Pedro Kupfer


  • Samasthiti / tadasana, a primeira postura

    Este é o asana incial, ponto de partida e base para todos os demais


    Pedro Kupfer


  • O Hatha Yoga como caminho soteriológico

    Afirma-se em alguns círculos de Yoga que o Hatha seria um método incompleto, incapaz de conduzir seus praticantes ao estado de iluminação, por utilizar apenas técnicas limitadas como a prática física (asana) ou os exercícios respiratórios (pranayama). Há estudiosos e mestres de outras linhas que apresentam o Hatha como o mais básico e 'materialista' dos Yogas existentes


    Pedro Kupfer


  • Memórias de Rishikesh

    Eis aqui algumas notas esparsas e saudosas sobre as lembranças, engraçadas e patéticas, que ficam ao final de cada viagem, e que levam irresistivelmente o yogi peregrino de volta para a terra do Yoga, assim que o orçamento permite


    Pedro Kupfer


  • Desfazendo equívocos em torno do Karma Yoga

    Sempre esperamos um resultado ao fazermos uma ação. Algumas pessoas \\\'espirituais\\\' afirmam que deveriamos agir sem esperar os resultados das nossas ações. Porém, nem um louco agiria assim!


    Pedro Kupfer


  • Isha Upanishad, a Upanishad do Ser Infinito

    O principal propósito deste shastra é mostrar-nos a onipresença do Absoluto e a unidade essencial existente no universo


    Pedro Kupfer


  • Algumas dicas sobre asana

    Lembre que os asanas somente são Yoga quando se fazem com consciência e cultivando o desapego em relação ao corpo. O asana é um meio para se conseguir chegar no Yoga, e não um fim em si mesmo


    Pedro Kupfer


  • O Hatha Yoga e a cultura védica

    Esta é ao mesmo tempo uma declaração de amor pelo Hatha Yoga e uma defesa dos aspectos esquecidos dessa antiga prática


    Pedro Kupfer


  • Vegetarianismo e Yoga

    Muita gente se pergunta o porquê da dieta vegetariana que nós yogis praticamos. Às vezes fica difícil discernir os motivos pelos quais o vegetarianismo é adotado sem uma compreensão mais profunda


    Pedro Kupfer


  • Para compreender os nomes sânscritos do Yoga

    Como bons observadores da natureza, os yogis que elaboraram o sistema de Hatha Yoga nomearam os diversos exercícios com base no que viam em seu cotidiano, e na cultura onde viviam


    Pedro Kupfer


  • Os cinco pranas

    O pranamaya kosha está composto de cinco formas diferentes que a energia vital assume, de acordo com seu movimento e direção no interior do corpo. Esse é um tópico importante, não somente para o Yoga, mas igualmente para o Ayurveda, a ciência indiana da saúde


    Pedro Kupfer


  • Vairagya, o desapego bem entendido

    O desapego é algo totalmente natural no homem. Todos queremos viver com o mínimo. Ninguém, a menos que tenha alguma compulsão por acumular ou algum outro problema psicológico, tem prazer em acumular coisas que não têm valor


    Pedro Kupfer


  • Perigos do Yoga vira-latas

    Voltei recentemente de uma temporada de estudos na Índia, onde o Yoga é uma prática baseada em princípios filosóficos milenares. Diferentemente dos ocidentais, os yogues daquele país estão mais preocupados em saber o que você faz para melhorar o mundo que em conhecer suas ideias.


    Pedro Kupfer


  • O yogi e o imperador

    O imperador grego Alexandre Magno invadiu a Índia no ano 326 antes de Cristo, estabelecendo colônias na terra que viu o Yoga nascer e iniciando assim o primeiro grande intercâmbio cultural, filosófico, artístico, técnico e comercial entre Oriente e Ocidente.


    Pedro Kupfer


  • Crianças brincando com granadas

    Recentemente voltei de uma visita ao Arshavidya Pitham, ashram de Swami Dayananda Saraswati, em Rishikesh, uma cidade sagrada à beira do rio Ganges, onde tive a boa fortuna e o bom karma de ser aceito, pelo pouco tempo que lá fiquei, no curso regular de Vedanta, de três anos de duração, que estava em andamento.


    Pedro Kupfer


  • Madonna + Yoga = cultura pop?

    Hoje estava ouvindo a música da Madonna chamada Die another day ("Morrer outro dia"), que dá nome a um dos filmes da série do espião James Bond. A letra dessa música recolhe algumas idéias centrais da prática yogue. Num trecho, que chamou bastante minha atenção, essa música diz três coisas...


    Pedro Kupfer


  • O corpo é o templo da divindade

    Muitas tradições ascéticas da Índia consideram o corpo como um mero acúmulo de vísceras cuja natureza é corrompida e cujo destino final é morrer e apodrecer. Talvez o exemplo mais claro disso é o que aparece no Agni Purana (LI:15)...


    Pedro Kupfer


  • Vivaha, o casamento hindu

    O vivaha é o mais importante dos rituais hindus. Dá-se grande importância ao casamento, pois considera-se que a vida em família é o estado natural dos seres humanos, e onde nós temos mais chance de sermos felizes e realizar nossas mais altas aspirações


    Pedro Kupfer


  • Ganesha puja

    Atendendo a pedidos, e para saciar a sede de fazer rituais de alguns bons amigos que nos solicitaram instruções a respeito do puja, publicamos aqui esta pequena prática, que dura apenas alguns minutos. Existem outras práticas, bem mais elaboradas, que podem fazer-se diariamente, mas que levam muito mais tempo.


    Pedro Kupfer


  • Você sabe parar?

    Você vive com a sensação de estar fazendo demasiado? Você tem a impressão de que seu dia não é suficientemente longo para realizar todas as tarefas que precisa realizar? Você fica constantemente cansado, como se estivesse carregando um fardo muito pesado para suas próprias forças? Você acha que a vida poderia ser mais gratificante e significativa? Se você respondeu positivamente a algumas das perguntas acima, provavelmente está precisando dar uma parada.


    Pedro Kupfer


  • Identificando desequilíbrios nos cinco koshas

    Na perspectiva do Yoga, existe apenas um desequilíbrio, apenas uma só doença. Essa doença é a separação. Todas as doenças físicas e mentais são sintomas dela. Nosso estado orgânico, seja de saúde, seja de doença, é basicamente um reflexo de nossa integração e interconexão entre nossos três corpos: denso, sutil e causal (sthula, shukshma e karana sharira). Vejamos como isto se processa nos cinco koshas.


    Pedro Kupfer


  • Saindo da teoria: prática para tomar consciência dos cinco koshas

    A fisiologia sutil do Yoga menciona cinco koshas ou invólucros que encobrem, protegem e servem como veículo para o ser. A matéria é o veículo da energia. Quando a consciência assume uma forma, ela se manifesta de formas diferentes. Estas formas são os cinco veículos do homem, que se sobrepõem concentricamente...


    Pedro Kupfer


  • Yoga Systems: lançamento no Brasil!

    Para atender à demanda sempre crescente por novidades nas academias, visto que o Ashtanga Vinyasa e o Power Yoga estão começando a dar sinais de esgotamento, estamos promovendo o lançamento exclusivo aqui no Brasil do Yoga Systems


    Pedro Kupfer


  • Sakshi, a consciência testemunha

    A consciência testemunha, sakshi em sânscrito, é uma noção chave para entender como funciona o Yoga. O yogi deve manter uma atitude totalmente equânime e imparcial perante qualquer pensamento, emoção ou sensação. Exercer a consciência testemunha significa desprender-se e desidentificar-se das próprias vivências, sejam estas positivas ou negativas.


    Pedro Kupfer


  • Reflexões sobre a não-violência

    Todos já ouvimos falar de ahimsa, o sistema de não-violência que Gandhi tornou mundialmente conhecido ao expulsar o Império Británico da Índia sem disparar um tiro sequer. O que não todo o mundo sabe, é que esse poderoso sistema forma o alicerce do Yoga. A prática do Yoga começa (ou deveria começar) na prática da não-violência. Ela é a condição fundamental para que as demais disciplinas éticas do Yoga funcionem: veracidade, honestidade, não-posessividade, etc.


    Pedro Kupfer


  • Teste sua ética yogue

    Sempre é possível enxergar em nós mesmos a forma em que percebemos a realidade, e a maneira em que nos relacionamos eticamente com o mundo e com nós mesmos. Nosso olhar ético é um espelho do que somos por dentro.


    Pedro Kupfer


  • O crime e o valor

    Hoje, após a aula semanal que ministro no presídio masculino de Florianópolis, tive uma conversação interessante com o traficante que trabalhava aqui na praia onde eu moro. O rapaz só vendia coisa fina: skunk (maconha híbrida do Afeganistão), LSD e ecstasy holandês. Com estes materiais importados, ele tinha uma seleta clientela entre a burguesia da ilha de Florianópolis. Ele me contou, em meio a uma série da anecdotas, que a filha do juiz que o condenou era sua cliente. Uma dessas 'coincidências' kármicas que a malandragem gosta de contar, quiçá para mitigar a dor da condenação.


    Pedro Kupfer


  • Ásana é diversão?

    Estava ontem lendo um livro de Yoga escrito por um dos mais famosos yogis estadunidenses, que ensina um método criado por ele próprio aqui em ocidente. Embora tente me manter aberto, tendo a desconfiar das formas de Yoga nascidas fora do berço, porque a possibilidade de viralatizar a prática aumenta muito.


    Pedro Kupfer


  • Curso Instantâneo de Formação (gratuito!) e receita infalível para ficar rico ensinando Yoga

    Não quero ser repetitivo com os temas que escolho para escrever neste site, mas as atuais circunstâncias nos mostram que alguns assuntos estão longe de se esgotar. Um deles é o tratamento patife e caricato que o Yoga está recebendo nos meios de comunicação. Do jeito que as coisas estão sendo apresentadas, esse sofisticado sistema de filosofia está ficando muito parecido com um cachorro viralata (com todo respeito pelos simpáticos quadrúpedes).


    Pedro Kupfer


  • Você está ajudando a enterrar o Hatha Yoga?

    Afirma-se em alguns círculos de Yoga que o Hatha seria um método incompleto, incapaz de conduzir seus praticantes ao estado de iluminação, por utilizar apenas técnicas limitadas como a prática física (ásana) ou os exercícios respiratórios (pranayama). Há estudiosos e mestres de outras linhas que apresentam o Hatha como o mais básico e "materialista" dos Yogas existentes.


    Pedro Kupfer


  • Prána, corpo e transformação

    Os praticantes e professores de Yoga sempre ouvimos dizer (e repetimos) que o Yoga é um caminho para a transformação e, que ao longo das práticas, acontece uma série de mudanças nas nossas vidas que transformam a visão que temos do mundo. Porém, em alguns casos, os anos passam, as práticas continuam, mas a pessoa fica com a sensação de que alguns problemas de fundo ainda estão lá, silenciosos, secretos e imutáveis.


    Pedro Kupfer


  • Você tem corpo? Então o Yoga é para você!

    Nosso corpo é nossa casa: não importa se você é jovem ou velho, saudável ou doente, duro ou flexível, magro ou gordo, bonito ou feio. Importa, como diz Swami Dayananda, que existem corpos vivos e corpos mortos. E, se você estiver de fato lendo isto, é porque você deve ter um corpo vivo. Porque você está vivo! E, se você estiver de fato vivo e ciente disso, lembre que sempre haverá um método de Yoga do qual você possa beneficiar-se.


    Pedro Kupfer


  • Significados e interpretações da palavra Yoga

    Yoga é um dos termos mais flexíveis e polissêmicos (com vários sentidos) da língua sânscrita. Essa palavra, assim como outras, pode mudar muito de significado, de acordo com o contexto.


    Pedro Kupfer


  • Yoga não é só técnica: Yoga é cultura

    Muitos autores afirmam que o Yoga é um conjunto de técnicas práticas. No entanto, a definição do Yoga como pura e simples prática é incompleta, pelo fato de que ele vai muito além de seus aspectos técnicos.


    Pedro Kupfer


  • Jogando xadrez com a Morte: a Katha Upanishad e a meta do Yoga

    Gostaria de convidar o amigo internauta para refletir sobre a história do jovem Nachiketas, que representa o buscador da verdade, na narração da Katha Upanishad, um dos livros mais antigos que existem sobre a realização espiritual.


    Pedro Kupfer


  • Porque Ganesha cavalga um rato?

    Se você visitar a Índia, verá freqüentemente imagens do deus Shiva cavalgando um touro branco, Vishnu voando sobre uma imensa águia ou Sarasvati atravessando o universo num belo cisne. E, certamente, o que mais irá chamar sua atenção, é o fato de que Ganesha, o deus com cabeça de elefante, cavalga um rato. Você poderá perguntar: mas porquê um rato?


    Pedro Kupfer


  • Glossário sânscrito da Hatha Yoga Pradipika, parte 1 (A-K)

    Adinatha: "Senhor Primordial", epíteto aplicado ao mestre original da tradição Kaula (também chamada Natha), identificado com Shiva, criador do Yoga e primeiro na linhagem dos 84 mahasiddhas, yogis iluminados do norte da Índia. Advaita: "não dualismo". O Advaita Vedanta é uma visão do homem e a criação exposta nas Upanishads e outros textos baseados nelas. O Vedanta não-dualista é a tradição filosófica preponderante no hinduísmo e inclui várias correntes diferentes, sendo as duas mais significativas o não dualismo absoluto de Ádi Shankaracharya e o não dualismo qualificado de Rámánuja.


    Pedro Kupfer


  • Glossário sânscrito da Hatha Yoga Pradipika, parte 2 (L-Y)


    Pedro Kupfer


  • A verdade sobre a puja

    Você sabe o que significa pūjā? Alguns praticantes acreditam que pūjā seja uma espécie de transferência de energia, uma saudação esquisita, onde quem \\\'dá\\\' a pūjā perde alguma coisa, e quem o \\\'recebe\\\' ganha energia e longevidade, força e mais alguma coisa nebulosa, arrancada à força do doador.


    Pedro Kupfer


  • Quantos deuses existem? (fragmento da Brihadaranyaka Upanishad)

    Pessoalmente, prefiro ver os devas, os "deuses" hindus, como formas de energia, representações simbólicas intuitivas das camadas da existência que transcendem o intelecto. A Brihadáranyaka Upanishad (III:9) deixa isso bem claro neste diálogo.


    Pedro Kupfer


  • Sankalpa: colocando em prática seu dharma pessoal

    Sankalpa significa resolução. É uma frase curta, concisa, clara e altamente evocativa. Tem o objetivo de potencializar algum aspecto positivo da personalidade, em nível subconsciente.


    Pedro Kupfer


  • Dharma: quem precisa dele?

    Este texto foi preparado para a palestra sobre dharma ministrada por Pedro Kupfer no II Yoga Sangam, conferência internacional de Yoga que aconteceu em Florianópolis, em maio de 2001. O nosso caro leitor/internauta saberá perdoar o estilo coloquial do artigo.


    Pedro Kupfer


  • Trátaka, a fixação ocular

    Trátaka é a fixação ocular. Serve para limpar e tonificar os músculos e nervos ópticos, assim como para descansar a vista. Desenvolve força de vontade e intuição e favorece a meditação.


    Pedro Kupfer


  • A grande mentira

    Estamos rodeados por mentiras, mergulhados na mentira. Das promessas dos políticos à publicidade, tudo é mentira. Mas há uma que é a maior, e que ninguém questiona. É a grande mentira.


    Pedro Kupfer


  • O que são os mantras?

    Literalmente, mantra significa instrumento do pensamento. Os sons mântricos são o melhor instrumento para limpar a mente e desintegrar os condicionamentos.


    Pedro Kupfer


  • Shúnya dháraná, a meditação no vazio

    Shúnya significa vazio. Este exercício serve para desvincular-nos das experiências corporais e mentais. A dissolução da identificação com o corpo e o pensamento é essencial para responder àquela pergunta: 'quem sou eu?'


    Pedro Kupfer


  • Ezour: o Veda de Jesus?

    Um pouco da história suja dos europeus na terra do Yoga que nunca nos contaram!


    Pedro Kupfer


  • O que é o mantra Om?

    O mantra mais importante de todos é o Oṁ. Se diz que ele contém o conhecimento dos Vedas e se considera o Corpo Sonoro do Ilimitado, Śābda Brahman. O Oṁ é o som do Infinito e a semente que fecunda os outros mantras.


    Pedro Kupfer


  • Pratyahara, o elo perdido do Yoga

    O Yoga é um conjunto de ferramentas para o crescimento interior. Nesse contexto, o Ashtanga Yoga ou Yoga de Patañjali se apresenta como um conjunto de oito estratos, cada um com um propósito bem definido. Desses oito estágios do Yoga, talvez o menos conhecido seja o pratyahara.


    Pedro Kupfer


  • Reflexões sobre a popularização do Yoga

    É impossível negar a influência que o Yoga tem hoje em dia sobre milhões de ocidentais. Estrelas de Hollywood, pop stars e atletas famosos estão voltando seus interesses para esta prática que surgiu em tempos neolíticos na Índia. Como sempre, a mídia vai atrás e se encarrega de espalhar, através dos seus arautos, a descoberta recente de um assunto velho como o próprio homem: a capacidade que ele tem de observar a si próprio e conhecer a sua verdadeira dimensão. E o Yoga é uma formidável ferramenta para fazer isso, e nos ensinar a arte de viver consciente e harmoniosamente.


    Pedro Kupfer


  • Karma é liberdade

    Aqui em ocidente pensamos que o karma seja uma espécie de fatalidade, algo ruim que acontece sem motivo aparente. Com freqüência dizemos 'Fulano tem um karma pesado' ou 'Sicrano pagou seu karma', sem entender ao certo o que é esse tal de karma. O conceito de karma no contexto do Yoga de Pátañjali não tem nada a ver com isso.


    Pedro Kupfer


  • Asana, dor e alinhamento

    Há dois tipos de dor que você pode sentir numa prática de asana: uma positiva e outra negativa


    Pedro Kupfer


  • Ásana: meditação em movimento?

    Na Índia de Patañjali, Yoga e meditação são sinônimos, ou quase. Na prática que alguns professores ensinam aqui em Ocidente, a meditação ocupa um lugar muito pequeno. Há outros que simplesmente nem sequer falam no assunto. Alguns falam sobre meditação em movimento, durante os ásanas, mas a verdade é que o Yoga está pagando um preço muito alto pela sua popularização. Esse preço é o da distorção, da banalização, da perda do conteúdo mais essencial desta escola de filosofia.


    Pedro Kupfer


  • Os ásanas e a história do Yoga

    Os ásanas do Yoga se dividem em dois grupos: as posições de meditação, em que o praticante apenas senta no chão com as pernas cruzadas, e as culturais, que são todas as demais. O primeiro grupo certamente é o mais antigo, pois temos vários sinetes do vale do Indo que atestam sua presença naquele tempo.


    Pedro Kupfer


  • Surya namaskar, a saudação ao Sol

    Diz-se que a série de exercícios da saudação ao Sol, chamada Súrya namaskar, em sânscrito, remontaria à pré-história, quando o homem reverenciava Sávitri, o deus-Sol


    Pedro Kupfer


  • A ciência e a cosmovisão hindu

    O Dr. Subhash Kak, engenheiro em computação e eletrônica na State University de Louisiana e estudioso dos Vedas, descobriu o código-chave que explica a estrutura dos altares do fogo, da cosmogonia vêdica e do próprio Rig Veda. A extraordinária relevância deste descobrimento e sua data tão recente (1993) merecem ao menos esta breve síntese.


    Pedro Kupfer


  • O jñána mudrá

    Jñána mudrá significa 'o gesto que outorga o conhecimento'. Os dedos indicador e polegar se unem pelas pontas, formando um círculo, e os outros permanecem juntos e descontraidamente estendidos.


    Pedro Kupfer


  • O añjali mudrá

    Añjali mudrá é o gesto de saudação. Añjali significa saudar, elevar, invocar, trazer, cultivar. Transmite sentimentos positivos, cordialidade e boas intenções. Na Índia, este gesto equivale ao nosso aperto de mãos. Nas práticas de Yoga é usado para fazer a saudação inicial e a final.


    Pedro Kupfer


  • Ekagrátá, a concentração em um ponto só

    Ekagrátá, a fixação da atenção em um ponto determinado, é o passo prévio à prática do samyama. Por meio dessa concentração, o yogin abstrai a sua psique das dispersões inerentes à condição terrena, conseguindo assim lograr um estado de unificação do fluxo consciente.


    Pedro Kupfer


  • Manaskriyá, a mentalização criativa

    Esta é uma técnica usada para desenvolver, unificar e direcionar o potencial mental que, de modo geral, está disperso. Ela nada tem a ver com auto-sugestão ou hipnose, mas consiste em concentrar a energia do pensamento de forma que seja criado no plano mental o objetivo que desejamos ver realizado em outro plano qualquer da nossa existência. Manaskriyá significa literalmente atividade mental.


    Pedro Kupfer


  • Drishti, as fixações oculares

    Drishti deriva da palavra drish, que significa literalmente olhar. Os drishtis são técnicas de fixação ocular, muito úteis para auxiliar a prática de meditação ou respiratórios. Possuem efeito estimulante nos músculos e nervos óticos e, através deles, no sistema nervoso central, auxiliando no processo de estabilização da mente.


    Pedro Kupfer


  • Surya pranayama

    Este exercício ativa a nadi solar, pingala, de polaridade positiva, simbolizada pelo fogo, o Sol, a natureza ativa, forte e ascendente


    Pedro Kupfer


  • Pratiloma pránáyáma

    Pratiloma significa oposto. É feito exatamente ao contrário do anuloma, com a inspiração alternada e a expiração por ambas narinas.


    Pedro Kupfer


  • Anuloma pránáyáma

    Este pránáyáma se faz inspirando pelas duas narinas e exalando de forma alternada, uma vez por cada narina. O nome significa encadeado, conectado, que está de acordo com a ordem natural.


    Pedro Kupfer


  • Nádí shodhana pránáyáma

    Nádí shodhana significa purificação das nádís. Este respiratório é importantíssimo no Yoga, pois promove o bhúta shuddhi, a limpeza do corpo sutil, requisito preliminar e indispensável para as práticas mais avançadas.


    Pedro Kupfer


  • Múrcchá pránáyáma

    Múrcchá significa desvanecimento, vertigem ou ainda expandir, penetrar, ocupar. O nome tem a ver com expansão da consciência e assimilação do prána.


    Pedro Kupfer


  • Viloma pránáyáma I e II

    Viloma significa inverso, contrário. O exercício recebe esse nome porque a maneira de respirar nele é oposta à natural. A característica principal desse exercício é a técnica empregada para inspirar.


    Pedro Kupfer


  • Nádí shuddhi pránáyáma


    Pedro Kupfer


  • Mantra pránáyáma

    Mantra pránáyáma é uma das múltiplas formas de sagarbha pránáyáma, que é a fusão de respiração e japa, a repetição (mental, nesse caso) de um mantra. Esse exercício é também denominado pranava pránáyáma.


    Pedro Kupfer


  • Shítalí pránáyáma

    Shíta significa frescor, frio. O nome deriva do seu efeito refrescante. Nesse exercício a inspiração é feita pela boca, enquanto que a expiração é pelas narinas.


    Pedro Kupfer


  • Báhya kúmbhaka pránáyáma

    Este exercício vai nos servir para desenvolvermos o tempo de retenção com os pulmões vazios, chamado shúnyaka (vazio) ou báhya kúmbhaka (retenção interna).


    Pedro Kupfer


  • Kúmbhaka bandha pránáyáma

    A palavra kúmbha ou kúmbhaka significa cântaro. Kúmbhaka bandha é a respiração completa, com ritmo e contrações


    Pedro Kupfer


  • Exercícios respiratórios básicos

    As técnicas descritas a seguir servirão como treinamento básico para dominar e ampliar a mecânica da respiração


    Pedro Kupfer


  • Meditação bhrámarí, a vibração interior


    Pedro Kupfer


  • Meditação ajapa japa, estágio I

    Ajapa japa, o japa que não é japa, é o mantra que fazemos ao respirar. É o próprio som produzido pelo fluxo do ar ao entrar e sair dos pulmões: so ham. So é Shakti; ham é Shiva. Este exercício desperta o canal psíquico ao longo da coluna, awarohan nádí.


    Pedro Kupfer


  • Meditação ajapa japa, estágio II

    Desperta a sushumná nádi, canal psíquico entre o chakra básico e o do intercílio. Inclui bhrúmadhya drishti, kechari mudrá e ujjayí pránáyáma.


    Pedro Kupfer


  • Meditação ajapa japa, estágio III

    Aqui você desperta a consciência dos canais arohan e awarohan, que formam um circuito energético dentro do tronco. Arohan nádí sobe pela frente do tronco, do múládhára até o bindu visarga, na parte mais alta da cabeça. Awarohan nádí desce do bindu até o ájnã e depois pela espinha até o múládhára. Esse circuito prânico tem a forma de um oito irregular.


    Pedro Kupfer


  • Meditação no mantra Om

    O mantra mais importante de todos é o Om. Se diz que ele contém o conhecimento dos Vedas e se considera o corpo sonoro do Absoluto, Shabda Brahman. O Om é o som do infinito e a semente que 'fecunda' os outros mantras.


    Pedro Kupfer


  • Nada dhyana, a meditação na sonoridade interior


    Pedro Kupfer


  • Amrita dhyána, a meditação no néctar celestial

    Amrita é o néctar, um gosto que se percebe com a prática do jíhva bandha, a contração da língua que se faz elevando e pressionando-a contra a parte posterior da úvula, no palato mole.


    Pedro Kupfer


  • Meditação: ouvir e ecoar

    Esta técnica é excelente para se fazer em grupo. Um dos participantes deve tocar um par de kartals, pequenos címbalos que produzem um som agudo e penetrante, ligado ao ákásha (éter), ou ainda uma tambura, instrumento de cordas usado para fazer acompanhamento na música indiana.


    Pedro Kupfer


  • Meditação chhayopásana

    Esta técnica tântrica, descrita no Shiva Swarodhaya, combina yantra com mantra dhyána. O nome deriva de chhayo, sombra e upásana, concentração firme.


    Pedro Kupfer


  • A pronúncia do sânscrito

    Os primeiros falantes do sânscrito arcaico foram os áryas ou arianos, fundadores da civilização vêdica. Os mais antigos textos da Humanidade, os Vedas, datam da Idade Vêdica, entre o sétimo e o quarto milênio aC. Foram transmitidos com surpreendente exatidão ao longo dos milênios por tradição oral, e transcritos apenas durante o II milênio aC.


    Pedro Kupfer


  • Glossário sânscrito

    Eis algumas palavras importantes para a compreensão da visão do Yoga e esclarecimento de dúvidas relativas ao estudo.


    Pedro Kupfer


  • Os darshanas e a visão hindu

    Darshana é o nome genérico das seis escolas filosóficas do hinduísmo, que explicam o sentido da existência do ser humano e do Cosmos. Os darshanas estudam os diferentes aspectos da realidade, tendo como objetivo comum libertar o homem da ignorância, atingir a emancipação dos condicionamentos.


    Pedro Kupfer


  • Como escolher um bom professor de Yoga?

    Antes de mais nada, é preciso ter claro o que você quer da prática. Os objetivos mudam de pessoa para pessoa. Lembre que existem muitas formas diferentes de Yoga.


    Pedro Kupfer


  • O professor de Yoga, a tradição e a disciplina espiritual

    As tradições vivas crescem e mudam de geração para geração. Basta dar uma olhada na história do Yoga para ver isto claramente. Conseqüentemente, cada vez que uma tradição é "importada" e muda de contexto, alguma coisa também muda nela. Infelizmente, mudança quase nunca significa melhoria. É virtualmente impossível manter a tradição intacta, porque o Yoga não é uma múmia: é algo vivo, dialético, mutante e que interage com o tempo e as pessoas.


    Pedro Kupfer


  • A literatura hindu e a síntese do hinduísmo

    Hinduísmo é o termo empregado hoje em dia para designar as instituições culturais, religiosas e sociais da grande maioria da população indiana. O hinduísmo faz sua aparição no contexto da civilização vêdica, durante o alvorecer da nação indiana.


    Pedro Kupfer


  • Shatkarma, a purificação orgânica

    O corpo precisa limpar-se através de exercícios que transcendem a noção de higiene fisiológica pura e simples. Karma significa atividade. Shat é o número seis. O nome shatkarma deriva do fato de que, originalmente estas técnicas eram somente seis. O shat karma é um conjunto de técnicas de purificação descritas na Hatha Yoga Pradípiká: kapálabháti, trátaka, nauli, neti, dhauti e vasti.


    Pedro Kupfer


  • Shanka prakshalana, a purificação total

    O shanka prakshalana é uma formidável técnica de desintoxicação e purificação, que consiste em fazer uma autolavagem completa do trato digestivo e intestinal. A técnica em si é bastante simples: consiste em beber água levemente salgada, no PH fisiológico, para que não seja absorvida pelo organismo.


    Pedro Kupfer


  • Quem foi Pátañjali?

    Se dá o nome de Pátañjali ao mítico codificador do Yoga Clássico, autor do Yoga Sútra. Tudo sobre esta figura histórica é um verdadeiro mistério.


    Pedro Kupfer


  • Força vital, respiração e consciência

    A vida começa com a primeira inspiração e se prolonga até a última exalação. O alento é a vida, que flui com tal naturalidade que são poucos os momentos em que percebemos o seu valor.


    Pedro Kupfer


  • Prána, chakras e kundaliní

    O Yoga vê o homem como um reflexo do macrocosmos. A energia criadora que engendra o Universo manifesta-se no homem, que não está separado nem é diferente dela. O nome dessa energia é kundaliní.


    Pedro Kupfer


  • Yoganidra: mergulho no Eu

    Muito mais que um relax ou uma tomada de consciência do próprio corpo, o yoganidra é um poderoso instrumento para mergulhar no próprio eu. Inclui os primeiros estágios do antar mouna.


    Pedro Kupfer


  • Yoganidra - muito além do relax

    O yoganidra, o 'sono' do Yoga, é um estado de consciência entre o sono profundo e a meditação, uma espécie de 'meditação-sono', em que participam ativamente todos os poderes mentais


    Pedro Kupfer


  • Cuidados preliminares para praticar

    Para que a prática de meditação seja bem direcionada, e dê resultados visíveis a curto prazo, recomendamos ao praticante que leve em consideração esses conselhos, pois eles irão facilitar a concentração. Reserve um lugar especial para meditar.


    Pedro Kupfer


  • Kundaliní, o poder serpentino, e os chakras

    O Yoga vê o homem como um reflexo do macrocosmos. A energia criadora que engendra o Universo manifesta-se no homem, que não está separado nem é diferente dela. O nome dessa energia é kundaliní.


    Pedro Kupfer


  • Meditação no múládhára chakra

    O múládhára chakra governa o instinto de sobrevivência, o sentido do olfato e o elemento prithiví (terra). Esta prática inclui ákásh pránáyáma, naságra drishti, múla bandha, o bíja mantra e a descrição completa do chakra segundo a iconografia tântrica. Esta meditação nos ajuda a viver em harmonia com as leis que governam o nosso corpo.


    Pedro Kupfer


  • Antar mouna, estágio I

    Se o sucesso na meditação dependesse do silêncio exterior, seria uma tarefa impossível. Entretanto, já que não podemos conseguir um ambiente com silêncio absoluto, usamos uma técnica para criar silêncio interior.


    Pedro Kupfer


  • A preparação para praticar

    Muitas pessoas se lançam à prática sem haver preparado o alicerce que fará com que possam efetivamente aproveitar as técnicas. Elas podem por momentos achar que fizeram grandes progressos mas na verdade pode acontecer que nem sequer tenham conseguido se preparar para começar.


    Pedro Kupfer


  • O Yoga de Patañjali

    Coloquemos a nossa lente zoom no Ashtánga Yoga, o sistema organizado pelo sábio Pátañjali. Este sistema tem oito partes: yama, niyama, ásana, pránáyáma, pratyáhára, dháraná, dhyána e samádhi.


    Pedro Kupfer


  • Os mantras do fogo

    O yajña, também chamado agnihotra, homa ou havana, é uma prática muito mais antiga que o pújá. Faz parte do hinduísmo mas nasceu nos tempos vêdicos, entre 6500 e 4000 anos atrás, quando o uso do fogo era essencial na vida dos homens.


    Pedro Kupfer


  • História do Yoga

    É árdua tarefa acompanhar o Yoga ao longo do tempo, já que é certamente muito mais antigo que todos os registros que dele se conhecem. Falar sobre as suas origens é tão difícil quanto tentar explicar a origem do próprio homem.


    Pedro Kupfer


  • Yoga e hinduísmo

    Qual é o lugar que o Yoga ocupa dentro da filosofia hindu? Se diz que o Yoga é um darshana, um 'ponto de vista' sobre o homem e o universo. Entretanto, não é exatamente assim.


    Pedro Kupfer


  • Como usar o lota para fazer a purificação nasal

    O lota é um recipiente de cerâmica que se usa para fazer neti, a técnica da purificação das mucosas nasais. Esta técnica limpa as narinas, eliminando o excesso de mucosidade e estimulando o ájña chakra. É ótima contra sinusite, renite e resfriados e ainda aumenta a resistência do organismo às infecções respiratórias.


    Pedro Kupfer


  • Introdução do livro Visões do Yoga

    Estas "pérolas de rara beleza", como dizem os próprios Shastras, são uma compilação parcial das escrituras do Yoga. Coisas que foram escritas ao longo dos milênios por seres humanos iguais a nós, que se dedicaram a explorar a alma humana usando o Yoga como ferramenta. Elas são fruto da visão e da intuição dos rishis, que eram sábios, ascetas, cientistas, yogis e poetas da antiguidade. Tudo ao mesmo tempo.


    Pedro Kupfer


  • Prefácio do livro Yoga Prático

    O Yoga é para seres humanos. E está ao alcance de todos. O que se precisa para praticá-lo? Um bom par de pulmões e a cabeça no lugar. Todos temos mente e pulmões. O resto é acessório.


    Pedro Kupfer


  • Yoga e mudrá

    Mudrá é uma palavra sânscrita que significa gesto, selo ou matriz. Os mudrás são a fonte de uma linguagem gestual e corporal que se origina na tradição tântrica, e está indissoluvelmente associada ao registro akáshico, o espaço sutil onde estão armazenados todos os conhecimentos e feitos da Humanidade desde seus primórdios.


    Pedro Kupfer


  • Prefácio do livro Dicionário de Yoga

    Desde os tempos mais remotos, o verdadeiro Yoga tem se mantido como um conhecimento reservado, secreto, acessível apenas àqueles que estavam preparados para compreender esta forma até hoje revolucionária de ver o ser humano.


    Pedro Kupfer


  • Yoga e Sámkhya: procurando a saída

    A palavra Yoga deriva da raiz sânscrita yuj, que significa literalmente unir, integrar, totalizar, lier ensemble. Yoga é unir, mas unir o que com o quê? O objetivo do Yoga é transformar o ser humano, lograr a experiência última e definitiva da liberdade absoluta: unir os poderes do corpo, a consciência e a ánima para alcançar a fusão entre o Ser e o Conhecer.


    Pedro Kupfer


  • Tantra = sexo?

    Tantra é o nome de um vasto leque de ensinamentos práticos que têm como objetivo expandir a consciência e libertar a energia primal do ser humano, chamada kundalini


    Pedro Kupfer


  • Os corpos do homem

    A perspectiva yogi afirma que a anatomia do homem vá muito além da dimensão material do corpo físico. As filosofias Sámkhya e Vedánta coincidem com o Yoga nessa visão holística do homem.


    Pedro Kupfer


  • A teoria da invasão ariana é um trote

    Este extenso artigo, extraído do livro História do Yoga, de Pedro Kupfer, explica o como e o porque da teoria da invasão ariana da Índia


    Pedro Kupfer


  • Evidências que refutam a teoria da invasão ariana

    Nas últimas duas décadas, uma enorme quantidade de provas que refutam a teoria da invasão ariana, variadas e convincentes, foram levantadas por cientistas, investigadores e eruditos dos Shastras e de outras fontes literárias, historiadores, arqueólogos, médicos, lingüistas, matemáticos, astrônomos, hidrólogos e geólogos. 


    Pedro Kupfer


  • Ásana: pensando com o corpo

    A filosofia hindu afirma que na matéria existe consciência e que na consciência existe matéria. O Yoga quer pensar com o corpo: através da experimentação, os yogis da antiguidade descobriram que fazer exercícios físicos de forma ritual traz enormes conseqüências metafísicas.


    Pedro Kupfer


  • Características da respiração yogika

    Em quase todos os casos, excetuando-se alguns exercícios específicos, a respiração durante o pranayama precisa manter sempre certas qualidades


    Pedro Kupfer


  • A ciência vêdica

    A ciência vêdica é um tema tão profundo quanto incompreendido. Devido a uma grande variedade de razões, os estudos vêdicos não receberam a mesma atenção que outras áreas do conhecimento antigo. 


    Pedro Kupfer


  • Como medir o corpo pránico?

    O súkshma sharíra, aura ou corpo sutil possui três camadas: corpo energético, corpo emocional e corpo mental. Se você não tiver experiência suficiente para senti-lo, e efetivamente ver os chakras e as nádís ou se você não conseguir ainda medir o tamanho do seu corpo sutil, isto pode parecer incompreensível. Então, para que estas afirmações não fiquem no ar, vamos aprender a medir auras e chakras. 


    Pedro Kupfer


  • A mitologia hindu

    O panteão hindu constitui uma tentativa formidável (e bem-sucedida) de definir os distintos aspectos da energia que anima o mundo. Sendo estas manifestações reflexo do imanifestado (que pode ser chamado Shiva, Om, Purusha ou Brahman), todas as formas de existência são em essência iguais a ele. 


    Pedro Kupfer


image description