Imagine que você é um professor de aritmética e está ensinando aos seus alunos que 2+2=4. Você já explicou os números e eles conhecem também o significado da palavra somar. Daí dá um exemplo com algumas laranjas sobre a mesa e pergunta: “entenderam?"

A resposta que você espera é um “sim” ou um “não”. No primeiro caso você fica satisfeito; no segundo caso, vai explicar tudo de novo. Porém, o que você não espera é que alguma criança responda isto: “não entendi nada, mas acredito no senhor".

Você não quer que seus alunos "acreditem" que 2+2=4, mas que compreendam o conceito de adição e possam fazer futuramente suas próprias contas e aplicar esse conceito para resolver questões práticas na vida. Isso exclui a fé, ou a crença na palavra de quem ensina.

Com Īśvara é igual: Īśvara não é um objeto de fé, mas uma verdade que não pode ser negada, e que deve ser compreendida, pois é a realidade daquele que está lendo isto agora, que é a Consciência Ilimitada.

Quando o Yoga expõe que Īśvara não é uma crença e convida o praticante a enxergar o inteiro universo como manifestação do Ilimitado, para o yogi não interessa se os cientistas chamam Īśvara de Natureza, ou Lei Natural, ou o que seja, e tampouco interessa se a ciência não dá um nome a essa realidade.

Uma crença é o processo mental de quem acredita em alguma coisa, que não necessariamente coincide com aquilo que chamamos realidade. Īśvara é a própria realidade.

Īśvara é a totalidade das leis naturais, a totalidade da tabela periódica dos elementos, a totalidade dos seres vivos, todos e cada um. Īśvara está presente em tudo e em todos.

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. Lucas Oliveira

    A View of The Spiritual World http://www.japaretreats.com/wp-content/uploads/2010/10/Krishna-loka-large.jpg


    Responder