GherandaSamhita: \\\'Ensinamentos do sábio Gheranda\\\',
tradução do espanhol por Gustavo André Cunha

Introdução

Gheranda Samhita é um manual de Hatha Yoga do século XVII que consta de 351 estrofes distribuídas em sete capítulos. É uma das três escrituras clássicas do Hatha Yoga e as técnicas que apresenta formam a base de muitas práticas do Yoga contemporâneo. O ensinamento apresenta-se em forma de diálogo entre o sábio Gheranda, de quem nada se conhece, e seu discípulo Chanda Kapali. Esta obra Vaishnavita toma como modelo a Hatha Yoga Pradipika e alguns versos têm correspondência com os do dito manual. Gheranda ensina uma disciplina de sete passos (sapta-sádhana) e descreve não menos de trinta e duas posturas (ásana) e vinte e cinco \\\'selos\\\' (mudra). A parte mais original deste trabalho é o extenso tratamento das técnicas depurificação (shodhana). Também propõe uma interessante classificação do fenómeno do ênstase (samádhi). Existem numerosos comentários a este texto.

 


 

Primeiro Capítulo: shatkarma, introdução geral e descrição de vinte técnicas de higiene interior

Invocação

Inclino-me perante o Senhor Shiva que no princípio ensinou o Hatha Vidya, ciência que destaca como o primeiro degrau da escadaria que conduz às supremas alturas do Raja Yoga.

1:1. Numa ocasião Chanda Kapali foi à cabana de Gheranda e o saudou com reverência e devoção.

1:2. Oh, Mestre do Yoga! Oh tu, o melhor de todos os Yoguis! Oh Senhor! Quero aprender a disciplina de Hatha Yoga que leva ao conhecimento daverdade (tattva-jñána).

1:3. O Mestre Gheranda respondeu: \\\'Sem dúvida o pedes correctamente. Te ensinarei o que desejas saber. Escuta com atenção\\\'.

1:4. Não existem amarras como as da ilusão (máyá). Não há força como aque provém da disciplina (yoga). Não há amigo mais elevado que oconhecimento (jñána). E não há inimigo maior que o sentimento deindividualidade (ahámkara).

1:5. Da mesma maneira que se aprende o alfabeto, com a prática, podem-sedominar todas as ciências, mediante o domínio do Hatha Yoga adquire-se nofinal o conhecimento da verdade que libera a alma da escravidão.

1:6. De acordo com os actos, bons ou maus, produzem-se os corpos de todosos seres vivos, e os corpos dão origem às acções (o karma que conduz ao renascimento). Desta maneira, o ciclo repete-se como o contínuo girar daroda de um moinho de água.

1:7. Da mesma forma que sobe e desce a roda de um moinho ao sacar águado poço movida pela nora (enchendo e esvaziando uma e outra vez os baldes), assim também a alma (jivátman) passa através da vida e da morte movida pelas suas acções (karma).

1:8. Porém, o corpo degenera-se neste mundo como um vaso de barro frescosubmergido em água. Fortalece-o com o fogo do treino (ghatastha-yoga)que vigoriza e purifica o corpo.

A via dos sete passos

1:9. Os sete passos deste treino psico-fisiológico são os seguintes:
1. Purificação, kriyá.
2. Fortalecimento, dridhata.
3. Estabilidade, sthirata.
4. Calma, dhirata.
5. Ligeireza, laguima.
6. Percepção correcta, pratyakshatva.
7. Libertação, nirliptata.

1:10-11. A purificação adquire-se com a prática regular dos seis kriyá. Aforça consegue-se com ásana; a estabilidade ou firmeza com mudra; calmacom pratyáhara; a ligeireza com pránáyáma; a percepção correcta comdhyána; a libertação com samádhi.

Os seis kriyá, ou exercícios de purificação

1:12. Os shat karma, ou seis exercícios de purificação, são:
1. Dhauti,
2. Vasti,
3. Neti,
4. Lauliki (Nauli),
5. Trataka e
6. Kapalabhati.

Primeiro kriyá: dhauti

1:13. Os dhauti eliminam as impurezas do corpo e são de quatro tipos:Antar-dhauti, ou limpeza interna; Danta-dhauti, ou limpeza dental; Hrid-dhauti, ou limpeza do esófago; Múla-soddhana, ou limpeza do recto.

1:14. Antar-dhauti, subdivide-se por sua vez em quatro partes: Vatasara, oulimpeza com ar; Varisara, ou limpeza com água; Vahnisara (agnisara), ou limpeza com fogo; Bahishkrita, ou limpeza com extracção.

Vatasara-dhauti

1:15. Imitar com a boca a forma do bico de um corvo (kákí-mudra) einspirar lentamente. Encher o estômago de ar e movê-lo para dentro. Depois,forçá-lo pouco a pouco até expulsá-lo através do recto.

1:16. Vatasara é um procedimento muito secreto (mantido pelos Siddhas)que purifica o corpo, cura todas as enfermidades e aumenta o fogo gástrico.

Varisara-dhauti

1:17. Encher a boca completamente com água, até à garganta. Bebê-la lentamente. No estômago, movimentá-la para os lados. Depois, empurrá-lapouco a pouco para expulsá-la através do recto.

1:18. Este procedimento deve ser mantido em segredo; purifica o corpo e,praticado com atenção, obtém-se um corpo luminoso ou resplandecente.

1:19. Varisara é o maior dos dhauti. Quem o executar com facilidadepurificará o seu corpo impuro e o transformará em um corpo divino(divya-deha).

Vahnisara-dhauti (agnisara-dhauti)

1:20. Pressionar cem vezes o abdómen contra a coluna vertebral. Isto é agnisara ou limpeza com fogo. Conduz ao êxito na prática de yoga, curatodas as enfermidades do estômago e incrementa o fogo interior.

1:21. Esta forma de dhauti, difícil de conseguir até para os deuses, devemanter-se em segredo, pois proporciona um corpo divino (divya-deha).

Bahishkrita-dhauti

1:22. Fazer kákí-mudra (boca em forma de bico de corvo) e inspirar lentamente. Encher o estômago de ar e mantê-lo durante hora e meia.Depois, empurrar forçando o ar até aos intestinos. Este dhauti deve manter-se em grande segredo e não revelá-lo a ninguém.

1:23. Em seguida, de pé e submergido em água até ao umbigo, extrair ointestino grosso (Shakti-nádi). Lavá-lo à mão até que fique completamentelimpo. Finalmente, introduzí-lo de novo no abdómen.

1:24. Este procedimento, difícil de realizar até para os deuses, deve manter-se em secreto, pois proporciona um corpo divino (devadeha).

1:25. Quem não conseguir reter o alento ou o ar no estômago durante hora emeia, não poderá efectuar este grande dhauti ou purificação, conhecidocomo bahishkrita.

Danta-dhauti

1:26. Inclui as seguintes práticas: Limpeza dos dentes (danta-múla-dhauti),limpeza da língua (jihvá-dhauti), limpeza dos ouvidos (karna-dhauti) elimpeza dos seios frontais (kapála-randhra-dhauti).

Danta-múla-dhauti

1:27. Esfregar os dentes com acácia em pó ou com terra pura até quedesapareçam todas as impurezas.

1:28. Esta limpeza dental é um grande dhauti e para os yoguis é umprocedimento muito importante na prática de yoga. Deve realizar-sediariamente, cada manhã, para manter os dentes sãos. Os yogis aprovam-nopara a purificação.

Jihvá-dhauti (jihvá-sodhana)

1:29. Dir-te-ei agora o método para limpar a língua, cujo alargamento anulaa velhice, a morte e a doença.

1:30. Juntar os dedos médio, indicador e anelar e introduzi-los na garganta.Escovar bem a raiz da língua e voltar a limpar, extraindo a mucosidade.

1:31. Em seguida, lavar a língua e massajá-la com manteiga e leite váriasvezes. Apertá-la e puxá-la repetidamente, como se estivesse a ordenhá-la.Finalmente, segurando a ponta da língua com um instrumento de aço, raspe-a com suavidade.

1:32. Esta prática deve efectuar-se com esmero todos os dias ao nascer e pôrdo sol. Desta forma consegue-se o alargamento da língua.

Karna-dhauti

1:33. Limpar os orifícios dos ouvidos com os dedos indicador e anelar. Aprática diária regular conduz à percepção de sons subtis (nada).

Kapála-randhra-dhauti

1:34. Massajar a depressão da frente junto à raiz do nariz com o polegar damão direita. Com esta prática curam-se as enfermidades ocasionadas pordesordens dos humores (dosha).

1:35. As nádi purificam-se e obtêm-se a clarividência, a visão divina (divya-drishti). Deve praticar-se diariamente ao despertar, depois de cada refeição eao anoitecer.

Hrid-dhauti

1:36. A limpeza do coração, é de três tipos: Danda-dhauti (limpeza comuma haste), Vamana-dhauti (limpeza com água), e Váso-dhauti (limpezacom uma gaze).

Danda-dhauti

1:37. Usar um ramo de plátano, cúrcuma, plantago mayor ou cana-de-açúcare introduzi-lo lentamente no esófago, retirando-o depois com cuidado.

1:38. Com esta prática elimina-se todo o muco (kapha), bílis (pitta) e outrasimpurezas da boca e do peito. Mediante danda-dhauti curam-se todas asenfermidades do coração.

Vamana-dhauti

1:39. Depois de comer, deve-se beber água até chegar ao estômago. Emseguida, deve-se voltar o olhar para cima durante algum tempo. Finalmente,procede-se ao vómito. Executado diariamente, cura as desordens ocasionaspor muco (kapha) e bílis (pitta).

Váso-dhauti

1:40. Engolir lentamente uma gaze com quatro dedos de largura e depoisextrai-la. Isto é váso-dhauti (vastradhauti).

1:41. Com esta técnica elimina-se a febre e curam-se enfermidadesabdominais (gulma), dilatação do baço, lepra, enfermidades da pele, assimcomo as desordens produzidas por muco (kapha) e bílis (pitta). Assim, a cada dia, o praticante incrementa a sua saúde, força e ânimo.

Múla-soddhana

1:42. Apana não flui correctamente a não ser que se limpe o recto de formaadequada. Portanto, deve efectuar-se cuidadosamente a purificação do intestino grosso.

1:43. O recto limpa-se repetidas vezes com água, utilizando o dedo médioou uma haste da raiz de cúrcuma (haridra).1:44. Isto elimina a prisão de ventre, a indigestão e a dispepsia, aumenta abeleza e o vigor corporal e vivifica a esfera de fogo (suco gástrico).

Segundo kriyá: vasti (basti)

1:45. Os vasti são de dois tipos: Jala-vasti; (com água) realiza-se metido emágua; Shushka-vasti. (enema seco) realiza-se em terra.

Jala-vasti

1:46. Denomina-se jala-vasti a seguinte prática: submergido em água até àaltura do umbigo, adopta-se a postura da cadeira (utkatásana) e contrai-serelaxa-se o esfíncter anal.

1:47. Com este procedimento curam-se desordens urinários (prameha),problemas digestivos (udavarta) e problemas relacionados com os distintosprána (krúra-váyu). O corpo liberta-se de toda a enfermidade e torna-se belocomo um deus.

Shushka-vasti (sthala-vasti)

1:48. Adoptar a postura da pinça (paschimottanásana). Mover lentamenteaté abaixo os intestinos. Contrair e relaxar o esfíncter anal mediante ashviní-mudra.

1:49. Com esta prática previne-se a prisão de ventre, aumenta-se o fogogástrico e cura-se a flatulência.

Terceiro kriyá: neti

1:50. Introduzir um fio delgado, de comprimento médio (22 a 28 cm.), porum orifício nasal. Empurrá-lo até que passe para dentro da boca. Agarrá-locom a mão e tirá-lo pela boca.

1:51. Com a prática de neti-kriyá facilita-se khechari-mudra, curam-se asdesordens causadas pelo muco (kapha) e aumenta a visão interior.

Quarto kriyá: lauliki (nauli)

1:52. Mover energicamente os intestinos e o estômago de um lado para ooutro. Isto é lauliki-yoga. Elimina todas as enfermidades e aumenta o fogogástrico.

Quinto kriyá: tratakam

1:53. Olhar fixamente, sem pestanejar, qualquer objecto pequeno até quecomecem a fluir lágrimas. Isto chama-se tratakam, segundo os sábios.

1:54. Ao praticar este yoga, obtêm-se a shambavi-mudra, eliminam-se todasas enfermidades oculares e surge a clarividência.

Sexto kriyá: kapalabhati

1:55. Kapalabhati elimina as desordens produzidas pelo muco (kapha) e éde três tipos: Váma-krama; Vyut-krama; Shít-krama.

Váma-krama

1:56. Inspira-se suavemente pelo orifício esquerdo do nariz e expira-se pelodireito. Em seguida, inspira-se pelo direito e expira-se pelo esquerdo.

1:57. Esta prática deve efectuar-se sem esforço. Com ela eliminam-se asdesordens produzidas pelo muco (kapha).

Vyut-krama

1:58. Absorver água por ambas as fossas nasais e expeli-la lentamente pelaboca. Com vyut-krama eliminam-se as desordens produzidas pelo muco (kapha).

Shít-krama

1:59. Absorver água pela boca e expeli-la lentamente pelas duas fossasnasais. Com esta prática, o yogi torna-se belo como o deus Káma.

1:60. A velhice não o atinge e a degeneração não o alcança. O corpo torna-sesão e flexível. As desordens devido a muco são eliminadas.


 

Traduzido pelo praticante e professor português de Yoga Gustavo André Cunha. O email do Gustavo é cunhagustavo@gmail.com.

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. Dulce olga

    Encantada,interessada,muita gratidão.Aqui nesse planeta caminharei junto com esses ensinamentos cuidadosos.namaste.
    Responder


  2. Franklim Leonardo da silva

    Olá,

    Não sou praticante de yoga ou seguidor, enfim sou leigo no assunto, mas tenho grande interesse pelas escrituras. Minha pergunta é a seguinte: Essas praticas por exemplo; extrair o intestino e lava-lo e depois introduzi-lo novamente é possivel? Ou, engolir uma gase para limpar o estomago, etc... Muito obrigado! PS: Há alguma bibliografia para iniciantes?

    Obrigado novamente.


    Responder


  3. Thiana Brandao

    Namasthê para vcs, com essa preciosidade.
    Responder


  4. mDc

    Não é A Gheranda Samhitá, mas O Gheranda Samhita. Regras do Sanscrito,...

     

    ======================

    Caro MDC,

    Obrigado pelo seu comentário. A palavra Samhitaa, é feminina. A maior parte das palavras terminadas em "A" longo são femininas. Isso inclui o termo Samhitaa. Em caso de dúvida, consulte o dicionário Monier-Williams, página 1123, segundo artigo na coluna da esquerda.

    Namaste!

    Pedro Kupfer.

     



    Gustavo Cunha

    Samhita é uma palavra feminina. logo a [Gheranda] Samhita.

    Namaste!



    Responder


  5. Michelle Mello

    Caramba, é um conhecimento muito extenso mesmo..mas haja coragem pra se aventurar a fazer issso só com leitura. Algumas coisas até dá, por serem um pouquinho mais fáceis, mas acho que todas elas causam estranheza a maioria das pessoas de senso comum. Bah, eu até praticaria com a instrução correta e se tivesse um tempo solitário e espaço pra isso hehe. Mas tem umas coisas que chocam mesmo...


    Responder


  6. Edeilton Fragoso

    Bom dia! Simplesmente, simplesmente sagrado! Nada pode ser acrescentado ao que é sagrado. Nada!
    Responder


  7. Gustavo André Cunha

    Hari Om Ji! A versão completa, em formato PDF, está disponível em www.dharmabindu.com. Bom proveito. Namasté
    Responder


  8. Murillo

    Puxa! Disponibilizar essa Gheranda Samhita é uma maravilha para economizar tempo de pergunta perdida para um professor. Fora que ajuda no desapego do ego de quem ensina, reafirmando a soberania das referências clássicas da Índia. Maravilha! Harih om sri guru dio namah!
    Responder


  9. Murillo

    Gratidão, Gustavo e Pedro, por facilitarem esse acesso especial!
    Responder


  10. Murillo

    Pôxa, que privilégio poder ter acesso à essas pérolas! Gratidão!
    Responder