A palavra saṅkalpa significa "construção mental", mas pode traduzir-se corretamente como "resolução interior". O saṅkalpa é uma fôrmula breve, clara e carregada de significado, que tem como objetivos criar foco na mente e potenciar os aspectos mais positivos da personalidade.

Deve manter-se o mesmo saṅkalpa durante várias práticas, seja de meditação ou de relaxamento, e deve ser repetida pelo menos três vezes ao iniciar, e três ao finalizar a prática.

Recomenda-se que o saṅkalpa tenha poucas palavras, e sempre as mesmas, para fixá-las no pensamento: uma frase curta, do gênero "tudo está perfeitamente bem agora" ou "me aceito exatamente como sou".

A resolução interior deve ser sempre afirmativa. Por exemplo, é muito melhor repetir mentalmente "estou saudável" ao invés de "não estou doente". As nossas recomendações são as seguintes: 

1. focalize a força de vontade.

2. separe o essencial do supérfluo.

3. trabalhe nos níveis inconsciente, subconsciente e consciente.

4. repita seu saṅkalpa em estado de relaxamento profundo.

5. lembre que quem cria sua realidade, quem constrói sua vida é você mesmo.

6. evite quaiquer conflitos com suas afirmações interiores.

7. busque a causa mais profunda ao construir sua resolução.

8. o saṅkalpa deve ser curto, claro e simples.

9. escolha sempre frases positivas.

10. escreva sua resolução e cole na porta da geladeira, no espelho do banheiro e perto do computador.

11. associe uma visualização a seu saṅkalpa para reforçá-lo.

12. nunca tente reprimir emoções negativas que possam surgir.

13. tenha cuidado com o que você mentaliza, pois você pode conseguir!

E ainda, uma advertência final: a prática de saṅkalpa serve para purificar os pensamentos e aprendermos a manter o foco sobre uma coisa só de cada vez. Funciona para disciplinar a mente e organizar o nosso cotidiano.

Porém, isso não significa que se imaginarmos que algo vai acontecer no futuro, isso forçosamente irá ter lugar de fato. Acreditar que pelo fato de fazermos um saṅkalpa nossos desejos irão ser realizados por arte de mágica é uma atitude fantasiosa, que não coincide com a realidade dos fatos.

Assim, tomemos esta ferramenta como ela é, deixando de lado esse tipo de atitude. Boas práticas!

Namaste.

 

Leia também

  • Meditação bhrámarí, a vibração interior


    Pedro Kupfer
  • A meditação no Om da Mandukyopanishat

    Esta Upaniṣad começa com uma afirmação: tudo o que aqui está, tudo o que aqui esteve, tudo o que aqui estará, é Oṁ. É assim que a discussão inicia. Idaṁsarvaṁ, inclui tudo o que está aqui: o que conheço e o que desconheço, o que existiu, o que existe agora, o que irá existir no futuro. Oṁ ityetadakṣaramidaṁ sarvaṁ: “a sílaba Oṁ e tudo isto que está aqui”.


    Swami Dayananda Saraswati
    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. Zilah

    Meus queridos mestres Angela e Pedro,

    Fiquei muito feliz em revê-los.

    Encontrar vocês me trouxe ainda mais a vontade da busca pelo eu e por este ensinamento maravilhoso.

    Obrigado / gratidão sempre!

    Namaste!

    ======

    A alegria foi mútua, Zilá!

    Tudo de bom!

    Beijos e namaste!

    Ângela e Pedro.


    Responder